Arquivo de etiquetas: entrevista

A DOR COMO AMIGA – Dr. Robert Rey

 

101011_alegria-no-sofrimento

(Por Eliana Barbosa*)

 

Olá, olá! Como vai você?

Espero que, mesmo diante das naturais adversidades do dia-a-dia,  você esteja – cada vez mais –  trabalhando o seu interior, aprimorando seus sonhos e acreditando na vida!!!

Hoje, eu trouxe pra você a recomendação de um livro que acabei de ler,  que poderá fazer uma grande diferença em sua existência!

Gostei tanto do conteúdo, que terminei a leitura dele com pesar…

Veja este trecho que escolhi para compartilhar com você:

“Muitos me perguntam qual é o segredo do meu sucesso, e eu costumo dizer que, na verdade, foi a dor que criou um homem com tanto êxito. A vida difícil que tive na infância e as dificuldades que eu enfrentei desde quando cheguei aos Estados Unidos, até conseguir conquistar o sucesso, foram um “motor” para o meu desejo de vencer.

A dor nunca foi minha inimiga, ela acabou se mostrando uma das maiores fontes de energia para que eu lutasse por tudo o que eu sentia que precisava conquistar. De certa forma, a dor foi a minha amiga mais fiel, que me acompanhou grande parte da minha vida e me ajudou a superar todos os obstáculos.

Eu gostaria muito que você que está lendo este livro percebesse que, se o Rey conseguiu, mesmo passando por tantos problemas, você também pode e vai conseguir! Só não desista. Planeje todo o seu caminho e aguente firme todas as “pancadas” que a vida lhe der e a dor que sentir. Como faixa preta de Taekwondo, eu posso dizer com tranquilidade que, para vencer qualquer luta, não basta saber bater. Os maiores vencedores são aqueles que sabem apanhar e continuam lutando.

Não existe caminho fácil para aqueles que saem em desvantagem, como foi o meu caso. Para mim, olhando para trás, vejo que a síntese da minha vida se resume a aceitar que a dor acabou sendo a minha melhor amiga – sem ela eu nunca teria chegado aonde cheguei.”  

O livro é “Dr. REY – O BRASILEIRO QUE SE TORNOU O Dr. HOLLYWOOD”, escrito pelo próprio Dr. Robert Rey.

Lendo o livro do Dr. Robert Rey 2 - Dez de 2015

Eis aqui uma breve descrição do livro:

“Nascido em uma família desajustada, no bairro da Lapa, em São Paulo, Dr. Robert Rey teve que lutar com todas as suas forças para vencer. Foi morar com uma família cristã nos Estados Unidos, quando tinha apenas 12 anos, sofreu preconceito e, mesmo desacreditado por todos, conseguiu se formar na Universidade de Harvard, se tornar o cirurgião plástico mais famoso do mundo.

Cursou Ciências Políticas, no mesmo curso em Harvard, que foi frequentado pelos presidentes Kennedy, Clinton e Obama, entre outros líderes mundiais. Grande empreendedor, Dr. Rey criou mais de 20 linhas de produtos comercializados em mais de 120 países. Suas clínicas de estética se espalharam pelas Américas, inclusive pelo Brasil.

Sua vida é uma impressionante história de superação. A história de um garoto, cuja vida tinha tudo para dar errado e acabou se tornando uma celebridade internacional, com uma fortuna de milhões de dólares. Uma história de sucesso, do rapaz que foi o último a aprender a ler na sua classe, e acabou se formando em Harvard.

A mídia ama o “Dr. Hollywood”, que se tornou uma das pessoas mais visíveis na TV brasileira e mundial nos últimos 10 anos. Tanto sucesso fez com que o Dr. Rey se tornasse um dos médicos mais ricos do mundo, morasse em uma mansão em Beverly Hills, na Califórnia, tendo uma vida digna dos mais impressionantes filmes de Hollywood.

No livro, o “Dr. Hollywood” conta detalhes terríveis de sua vida pessoal e revela os segredos de como, saindo praticamente do nada, se tornou o mais famoso cirurgião plástico do mundo, homem de mídia conhecido em todo o planeta e um empresário de sucesso que com apenas a linha de produtos “Dr. Rey Shapeware”, faturou 100 milhões de dólares! Uma impressionante história de empreendedorismo.

Os fãs e leitores descobrirão os segredos da vida pessoal, profissional e os planos para o futuro do Dr. Robert Rey, o brasileiro que se tornou o Dr. Hollywood!”

========

Eu acredito que você vai gostar também dessa fantástica história de quem decidiu sair da posição de vítima e se tornar o protagonista, o herói da sua própria vida!!!
Recomendo demais!!!

COM DR. ROBERT REY E ESPOSA HAYLEY REY

Em 15 de Julho de 2012, tive a  oportunidade de entrevistar o Dr. Robert Rey (na foto com sua esposa Hayley Rey),   no evento “Los Angeles Brazilian Film Festival – LABRFF”, em seu quinto ano,  com mostras de filmes, documentários e curtas no Academy’s Linwood Dunn Theater, em Hollywood – CA – Estados Unidos. Gravei a entrevista para o meu programa ELIANA BARBOSA E VOCÊ, na TV MUNDI e para a Revista MALU (onde assino a coluna Papo Cabeça).

                  

(*)Psicoterapeuta, life coach, palestrante, apresentadora de TV e rádio e autora de livros no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br 

VOCÊ CONHECE A “SÍNDROME DO SAPO FERVIDO”?

 

 

sapo fervido

 

(Por Eliana Barbosa)

Olá! Tudo bem?

Hoje quero conversar com você sobre a síndrome do “sapo fervido”. Você já ouviu falar sobre ela?

Eu desconheço o autor, mas este texto é sempre muito bom pra me deixar bem acordada para a vida… Vamos lá!

“Vários estudos biológicos provaram que um sapo colocado num recipiente com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a água, até que ela ferva.

O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudanças de ambiente) e morre quando a água ferve. Inchadinho e “feliz”.

Por outro lado, outro sapo que seja jogado neste recipiente já com água fervendo, salta imediatamente para fora. Meio chamuscado, porém vivo!

Temos vários sapos fervidos por aí. Não percebem as mudanças ou acham que não tem como ficar melhor, ou  que vai passar, que é só dar um tempo! Estão prestes a morrer, porém ficam boiando estáveis e impávidos na água em que se aquecem a cada minuto.

Acabam “morrendo” inchadinhos e “felizes”, sem ter percebido as mudanças.

Sapos fervidos não percebem que além de serem eficientes (fazer as coisas) precisam ser eficazes (fazer as coisas certas).

Acordem sapos fervidos! Saiam dessa!

O mundo mudou! Pulem fora antes que a água ferva!

Precisamos estar vivos, meio chamuscados, mas vivos e prontos para agir!”

(Autor desconhecido)
——

Pois é… Você viu como é importante este alerta?

Chega uma hora em que é preciso pular pra fora dessa água que queima, chutar o balde, dar um murro na mesa e dizer “BASTA”!!! Nem que seja dizer um BASTA à sua inércia, a essa mania de ficar esperando que o outro mude…

Quem tem que mudar é… VOCÊ!!!

Um grande abraço e votos de que nunca mais você se permita ferver nas águas turvas da falta de coragem de mudar!!!

Eliana Barbosa
(Psicoterapeuta, terapeuta de Florais de Bach, life coach, escritora e palestrante motivacional)

 

CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM ABAIXO E ASSISTA A UMA IMPORTANTE ENTREVISTA BASEADA NESTE TEMA, FEITA PELO JORNALISTA LUÍS CLÁUDIO FARIA COM O PSICOTERAPEUTA CLÍNICO FERNANDO VIEIRA FILHO

FERNANDO

 

A CONFUSÃO MENTAL DOS IDOSOS

agua1

O médico Arnaldo Lichtenstein tem algumas recomendações simples porém muito importantes para você e quem você quer bem:

“Durante as aulas de clínica médica que ministro aos estudantes do 4º ano de Medicina, a certa altura, faço a seguinte pergunta:

– Quais as causas mais comuns de confusão mental nas pessoas idosas?

Alguns tentam adivinhar: “Tumor na cabeça”.

Eu respondo: “Não”.

Outros arriscam: “Mal de Alzheimer”

Novamente, respondo: “Não”.

A cada negativa os alunos vão demonstrando espanto….

E ficam ainda mais boquiabertos quando menciono os três motivos mais comuns:

– Diabetes fora de controle;

– Infecção urinária;

 – A família foi passear e deixou o avô e a avó em casa, para não se cansarem.

Embora pareça brincadeira, não é nada disso. Como o avô e a avó não sentiram sede, não ingeriram líquidos.

Quando não há ninguém mais em casa para lembrá-los de tomar água, ou chá, ou um suquinho, eles desidratam-se rapidamente.

A desidratação pode vir a ser grave, afetando todo o organismo. Pode causar confusão mental repentina, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos, angina (dor no peito), coma e até o óbito.

Atenção: não é brincadeira!

O processo natural de envelhecimento faz com que, na terceira idade – que começa aos 60 anos – tenhamos pouco mais de 50% de água no organismo.

 Portanto, os idosos têm menor reserva de líquidos.

 Para complicar mais o quadro, mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água porque, muitas vezes, há certa disfunção nos seus mecanismos de equilíbrio interno.

 Conclusão:

 As pessoas idosas desidratam-se com mais facilidade não apenas porque têm menos reserva de água, mas também porque não se dão conta de que necessitam de água. Mesmo que o idoso seja saudável, a falta de líquido reduz o desempenho das reações químicas e funcionais de todo o organismo.

 Por esse motivo, aqui estão dois alertas:

 1 – O primeiro é para as pessoas idosas: Fiquem bem conscientes do hábito de tomar líquidos. Por líquido entenda-se água, chás, água-de-coco, melancia, sucos, melão, abacaxi, tangerina, gelatina, laranja, leite, sopas… O importante é, a cada duas horas, ingerir um copo ou uma xícara com líquido. Lembrem-se bem disso!

2 – O segundo alerta é endereçado aos familiares: Ofereçam com bastante frequência líquidos aos idosos. Ao mesmo tempo, prestem atenção. Caso percebam que estão rejeitando líquidos e, que, de repente, ficam confusos, irritadiços, alheios ao que se passa ao redor, cuidado!. É quase certo que sejam sintomas de desidratação.”

“Deem-lhes líquidos e procurem logo atendimento médico”.

 

(*) Arnaldo Lichtenstein, médico, é clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Este artigo é de utilidade pública. Por favor, compartilhe com as pessoas que você conhece!

 Fonte: Fazbemasaúde

 

 

BANNER PARA HOME

PERDÃO – O ALICERCE DO SUCESSO

perdão

(Autoria de Eliana Barbosa)

A cada dia que passa, mais compreendo o quanto o perdão é um sentimento libertador.

Todos nós vivemos em busca do sucesso, seja em que área for, e até já sabemos que um dos ingredientes principais para uma vida bem sucedida é a autoestima. Porém, poucas pessoas atentam para a  importância do perdão e também do autoperdão na conquista da vitória, quer pessoal, quer profissional.

A capacidade de perdoar deve ser encarada não só como uma prova de fé e amor, mas, também, como uma prova de inteligência, porque o perdão é capaz de aliviá-lo do peso insuportável do ódio, que não permite que você cresça e prospere na vida.

Eu penso que todos os atendimentos psicoterápicos deveriam ter como base o perdão, porque as neuroses, as doenças, a depressão, os suicídios e todas as misérias materiais ou morais estão intimamente ligados ao ódio que ainda habita o coração da Humanidade.

Sentir ódio é delegar poder àquele que você odeia. O outro passa a mandar na sua vida, ganha a força de manipular os seus passos, porque você fica preso às lembranças desagradáveis do passado e a energia negativa e pesada do rancor não permite que você consiga planejar e realizar os seus sonhos.

Você se torna um escravo do ódio e, pior ainda quando passa a alimentar desejos de vingança. É impossível ao Universo apoiar quem nutre dentro de si pensamentos negros de revolta e revanche.

 Analisando a palavra “mágoa”, percebemos que ela nada mais é do que a palavra “ódio” debaixo de uma maquiagem sutil. E só sentimos ódio de quem, um dia, amamos muito e nos decepcionou, em algum momento.

 Diante disso, procure praticar o autoconhecimento para pesquisar dentro de si este sentimento tão destrutivo – o ódio -,  sem medo de encontrá-lo, muitas vezes, direcionado aos seus pais ou àqueles ligados à sua criação. É preciso encarar com realismo que são as pessoas mais próximas a nós que podem nos causar mais danos, porque nelas depositamos a nossa confiança plena e, muitas vezes, não somos correspondidos.

Então, depois de encarar os seus ódios, com coragem, e entender que as doenças e até as dificuldades financeiras são produto da falta de perdão, o próximo e principal passo é começar a perdoar, praticando exercícios simples que, porém, necessitam da sua persistência, porque “feridas abertas” costumam sangrar, de vez em quando.

Eu vou ensinar, aqui, uma técnica que aprendi, alguns anos atrás, que ensino em meus atendimentos, e é fantástica e transformadora: Durante 21 dias (sem interrupção), escreva em um papel 30 vezes, a cada dia, buscando penetrar em um positivo estado emocional, a seguinte declaração: “Eu declaro que me perdôo e perdôo …(coloque aqui o nome de quem você tem ressentimentos)”.

No começo, você pode sentir dificuldades até de escrever o nome da outra pessoa, tamanho é o poder que ela exerce sobre você, mas com o passar dos dias, você irá se sentir mais confiante e começará a perceber que novas oportunidades surgirão em sua vida, novas amizades construtivas e uma alegria que há muito não sentia. É a prova da libertação que está começando a envolver a sua vida, o seu trabalho e os seus caminhos.

E, a partir daí, com a firme intenção de fortalecer o sentimento de perdão, aprimore o seu gosto pelas leituras positivas, porque um bom livro é uma arma abençoada que você pode usar para enfrentar seus medos, rancores, culpas, enfim, para superar os desafios do mundo e vencer!

Obs. 1: Se você, no processo de 21 dias pular algum dia, se esquecer, por exemplo, você deve iniciar a terapia do perdão desde o primeiro dia, de novo.

Obs. 2: Ao terminar os 21 dias, você vai ler pela última vez as suas declarações, vai respirar fundo e rasgar todos os papeis escritos, queimá-los e jogar as cinzas… Sabe onde??? No vaso sanitário, lugar perfeito para você eliminar, de uma vez por todas, esse lixo emocional que vem há tanto tempo intoxicando sua vida!

Abraços e felicidades,

Eliana

(Psicoterapeuta, coach de relacionamentos, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio) 

CARTAZ CAPTURA