Arquivo de etiquetas: depressão

DEPRESSÃO NAS MULHERES

depressao-cerebro-disfuncao-cognitiva-size-598

(Autoria de Eliana Barbosa*)

É comum, em meu trabalho, receber e-mails e telefonemas de mulheres com sérios questionamentos sobre a depressão e, então, aproveito este espaço para compartilhar com você algumas informações de extrema importância.

Segundo estatísticas mundiais, a depressão é duas vezes mais frequente entre as mulheres do que entre os homens. Isso se explica principalmente pelas flutuações hormonais às quais as mulheres estão expostas ao longo da vida, mas há outros fatores emocionais, genéticos e sociais que também podem levar à depressão.

A depressão vai além da tristeza.

É um estado de “baixo astral” que pode se prolongar até por anos, se não for tratada, onde se manifestam sentimentos pessimistas (inutilidade, culpa, desejo de morrer, etc), perda da autoestima, da autoconfiança e da motivação em atividades antes consideradas prazerosas pela pessoa.

Ela pode ser endógena (mais séria e decorrente de um desequilíbrio neuroquímico do cérebro ou de predisposição hereditária), ou reativa (decorrente de aborrecimentos externos, adversidades, decepções, perdas de entes queridos etc.).

Sendo a depressão uma doença, deve ser encarada e tratada como tal. Por isso, a importância dos medicamentos antidepressivos durante o tratamento psiquiátrico, aliados à psicoterapia e até às terapias alternativas.

E a boa notícia é que com o tratamento correto, 70% a 90% dos pacientes recuperam-se da depressão.

Eis, então, algumas posturas positivas essenciais para você evitar a depressão em sua vida:

  • Pare de cobrar perfeição de si mesma e dos outros.
  • Evite colocar expectativas nas outras pessoas – esse é o caminho para as decepções e ressentimentos.
  • Aceite a natureza das pessoas à sua volta e não perca seu tempo e saúde tentando mudá-las.
  • Combata em si mesma o medo de desagradar a quem quer que seja. Pare de engolir “sapos” e seja mais verdadeira com você, dizendo “não” para os outros, quando o seu coração pedir, sem se culpar por isso.
  • Cultive a espiritualidade, o que vai proporcionar sentido para sua vida.
  • Amplie sua fé – em Deus, em você mesma e nas pessoas confiáveis à sua volta.
  • Procure realizar algum trabalho voluntário, que vai lhe proporcionar mais prazer, senso de utilidade e valorização da própria vida.
  • E fuja do sentimento de autopiedade – ele é um grande imã para as doenças, como uma forma inconsciente de chamar a atenção daqueles que a cercam.

  Pense nisso com carinho!

 

E, se mesmo com estas dicas, você ainda se sente frágil, precisando melhorar sua autoestima e autoconfiança, e aprender a se relacionar de forma saudável e positiva, então EU TE CONVIDO:
VENHA COMIGO PARTICIPAR DO CURSO “CURA DOS SENTIMENTOS”, QUE VAI, DEFINITIVAMENTE, MUDAR A SUA PERCEPÇÃO DE SI MESMA E TRANSFORMAR SUA VIDA PRA MUITO MELHOR!!!
DIGA “NÃO” À DEPRESSÃO!!!

ARTE PARA PANFLETO TURMA 5 UBERABA

CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM ACIMA PARA SABER TUDO SOBRE ESTE CURSO 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento e apresentadora em TV e rádio)

DEPRESSÃO – CUIDADO COM ESTA ARMADILHA!

                                                                                           

                             almanaque-da-saude-depressao-47239                                    

              (Autoria de Eliana Barbosa*)

Um dos grandes males desse século, que tem arrasado muitas vidas e relacionamentos é a depressão. E ela geralmente se inicia de forma sorrateira, e vai invadindo o cotidiano das pessoas.

Muitas pessoas relatam sobre sua tristeza constante, falta de ânimo para viver a  rotina e até para conviver com seus parceiros, falta de “cor” na própria vida.

Outras, principalmente as mulheres, se dizem deprimidas porque seus filhos cresceram e “bateram asas”, e elas não se prepararam para essa fase, onde poderiam aproveitar para se dedicar à vida amorosa, viajar ou mesmo fazer novas amizades.

Se este é o seu caso, veja o que fazer para se livrar dessa “armadilha” chamada depressão:

 ** Primeiramente, procure o apoio de um profissional do comportamento humano para que você se conheça melhor,  possa desabafar suas dores e medos e aprender a traçar planos para sua mudança interior e cura.

** Se esse profissional detectar que você está com depressão mesmo – séria doença – e se ele não for médico, é hora de você consultar um psiquiatra, porque o tratamento adequado da depressão necessita de remédios alopáticos, além de acompanhamento psicológico.

** Faça também sua parte: situe-se no presente, no “aqui e agora”. Isso mesmo! A tristeza que se torna depressão é bem comum em pessoas que guardam ressentimentos e decepções do passado e são inseguras quanto ao futuro.

** Ao ficar preocupado demais com o futuro, ou cheia de mágoas, culpas e saudades do passado, você simplesmente perderá o equilíbrio de sua vida e, assim, se tornará vulnerável às doenças, inclusive à depressão.

** Guarde bem: sua vida é como se fosse um navio e sua mente é o capitão desse navio. Se sua mente (o capitão do navio) está em desarmonia ou desequilíbrio, sua vida (o navio) com certeza perderá o rumo.

Portanto, cuide de sua mente – pensamentos otimistas, gratidão, bom humor, novos amigos e aprendizados – e, assim, permita que a alegria seja a parte principal de todos os dias de sua vida!  Acredite: Você merece! 

(*Psicoterapeuta, coach de relacionamentos, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio)

“Antidepressivos tratam a dor depressão, mas não curam o sentimento de culpa e nem tratam a angústia da solidão.” (Augusto Cury)
Venha curar todo e qualquer sentimento negativo que, até hoje, tem intoxicado sua vida!!! —>> Curso CURA DOS SENTIMENTOS —>www.curadossentimentos.com.br/curso << — Informações e inscrições

ARTE PARA PANFLETO TURMA 5 UBERABA

 

 

BANNER PARA HOME

TRANSTORNOS MENTAIS E PRECONCEITO

 

 

transtorno

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Você já se deu conta do quanto é perversa a falta de aceitação e o preconceito das pessoas em relação às doenças mentais?

Sim, porque enquanto a pessoa doente não aceita e entende a doença que está perturbando o seu viver, ela passa a vida transtornada, brigando com si mesma e com o mundo, sendo tachada de “louca”, e tudo mais.

A partir do momento que essa pessoa resolve se conhecer melhor, joga seus preconceitos pela janela e procura um psiquiatra, sua vida começa a mudar para melhor!

E a família, é claro,  também precisa se desvencilhar do orgulho e apoiar o doente em seu tratamento.

Uma das crenças mais limitantes que conheço é dizer que “psiquiatra é médico de doido”. Para mim, psiquiatra é médico de QUALIDADE DE VIDA!

É o psiquiatra quem vai dizer para a pessoa se há mesmo algum transtorno e, melhor de tudo, vai medicá-la, para que ela possa, com disciplina e seriedade no tratamento, ter de volta a serenidade, pensamentos lúcidos, sonhos e metas.

E atenção: Se for preciso tomar medicamentos para o resto da vida, o doente deve aceitar, porque são remédios abençoados, que vão proporcionar a ele o direito de viver bem, com alegria e produtividade.

O mal maior para um paciente psiquiátrico é a falta de humildade em aceitar o diagnóstico médico e o tratamento, que é primordial para seu equilíbrio.

É imenso o número de pessoas bem sucedidas e reconhecidas em sua vida familiar e profissional que são portadoras de transtornos mentais, sob controle por meio de medicamentos e psicoterapia.

Aqui estou falando dos pequenos distúrbios até os transtornos mais sérios, como a esquizofrenia, passando pela depressão, o transtorno afetivo bipolar, o transtorno obsessivo compulsivo, síndrome do pânico, e tantos outros.

Portanto, se você perceber que algo não anda bem com seus sentimentos e pensamentos, ideias de perseguição, impulsividade, agressividade, muitos altos e baixos, tristeza profunda, manias, isolamento social, ciúme doentio, imagens destrutivas, etc…, tome as rédeas de sua vida, procure um psiquiatra e confie!

Afinal, você merece ser feliz!

(*Psicoterapeuta, terapeuta de Florais de Bach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento e apresentadora em TV e rádio)

 

Você pode aprofundar neste tema, com a entrevista abaixo, com o psicoterapeuta Fernando Vieira Filho

 

 

BANNER PARA HOME