Arquivo de etiquetas: coaching

AMOR OU DEPENDÊNCIA EMOCIONAL?

 

 

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Será que, em seus relacionamentos, há amor ou dependência emocional?

Este é um conflito interior vivido por muitas pessoas, em especial pelas mulheres – apegam-se a qualquer um, querem ser “mãezonas”, aceitam tudo para não perder a atenção e o apoio daqueles com quem convivem e, muitas vezes, se submetem até aos abusos verbais e físicos para não ficarem sozinhas. Isso não é amor!

A dependência emocional ou Transtorno da Personalidade Dependente é um padrão de comportamento  submisso, relacionado a uma necessidade excessiva de proteção e cuidados.

É típico das pessoas “boazinhas”, incapazes de dizer “não” àquilo que  discordam, temendo ser desaprovadas. Aceitação e reconhecimento são importantes para o dependente emocional, porque, sem autoconfiança e autoestima, ele não acredita em seu valor.

Ele tem dificuldade em tomar decisões e tendência em responsabilizar os outros por tudo. Não entende o quanto é especial, e acaba vítima de uniões ou amizades tóxicas, pois precisa ter alguém ao seu lado para se sentir completo.

Sua carência afetiva e insegurança se originaram de uma infância de rejeição, negligência ou abandono, ou mesmo de pais que não admitiam erros e exigiam perfeição.

Essa dependência em relação às pessoas é tão destrutiva quanto a dependência de drogas ou álcool, de sexo, ou compulsão alimentar.

Quem vive a dependência emocional sente que “antes mal acompanhado do que só”, o que é uma lástima para a própria autoestima.

E, neste processo de anulação de sua vida para garantir a companhia de um parceiro, dos filhos ou dos amigos, o dependente emocional, sem perceber, vai se tornando depressivo e decepcionado porque, apesar de se doar tanto, geralmente só recebe ingratidão, críticas e menosprezo.

Então, para sair desse círculo vicioso de “dar amor imaturo e receber desprezo”, e se libertar dessa dependência, fortalecendo sua autoestima, costumo recomendar a Psicoterapia – que vai trabalhar o autoconhecimento, resgate da autoestima e mudanças de comportamento – associada aos Remédios Florais do Dr. Bach – que irão harmonizar suas emoções.

E, finalmente, que abra seu imenso coração para si mesmo, aprimore seu amor-próprio e, de forma madura, ame os outros sem apego nem cobranças e, principalmente, sem precisar “esmolar” o amor de ninguém.

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, palestrante e escritora no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio)

PERDÃO – O ALICERCE DO SUCESSO

perdão

(Autoria de Eliana Barbosa)

A cada dia que passa, mais compreendo o quanto o perdão é um sentimento libertador.

Todos nós vivemos em busca do sucesso, seja em que área for, e até já sabemos que um dos ingredientes principais para uma vida bem sucedida é a autoestima. Porém, poucas pessoas atentam para a  importância do perdão e também do autoperdão na conquista da vitória, quer pessoal, quer profissional.

A capacidade de perdoar deve ser encarada não só como uma prova de fé e amor, mas, também, como uma prova de inteligência, porque o perdão é capaz de aliviá-lo do peso insuportável do ódio, que não permite que você cresça e prospere na vida.

Eu penso que todos os atendimentos psicoterápicos deveriam ter como base o perdão, porque as neuroses, as doenças, a depressão, os suicídios e todas as misérias materiais ou morais estão intimamente ligados ao ódio que ainda habita o coração da Humanidade.

Sentir ódio é delegar poder àquele que você odeia. O outro passa a mandar na sua vida, ganha a força de manipular os seus passos, porque você fica preso às lembranças desagradáveis do passado e a energia negativa e pesada do rancor não permite que você consiga planejar e realizar os seus sonhos.

Você se torna um escravo do ódio e, pior ainda quando passa a alimentar desejos de vingança. É impossível ao Universo apoiar quem nutre dentro de si pensamentos negros de revolta e revanche.

 Analisando a palavra “mágoa”, percebemos que ela nada mais é do que a palavra “ódio” debaixo de uma maquiagem sutil. E só sentimos ódio de quem, um dia, amamos muito e nos decepcionou, em algum momento.

 Diante disso, procure praticar o autoconhecimento para pesquisar dentro de si este sentimento tão destrutivo – o ódio -,  sem medo de encontrá-lo, muitas vezes, direcionado aos seus pais ou àqueles ligados à sua criação. É preciso encarar com realismo que são as pessoas mais próximas a nós que podem nos causar mais danos, porque nelas depositamos a nossa confiança plena e, muitas vezes, não somos correspondidos.

Então, depois de encarar os seus ódios, com coragem, e entender que as doenças e até as dificuldades financeiras são produto da falta de perdão, o próximo e principal passo é começar a perdoar, praticando exercícios simples que, porém, necessitam da sua persistência, porque “feridas abertas” costumam sangrar, de vez em quando.

Eu vou ensinar, aqui, uma técnica que aprendi, alguns anos atrás, que ensino em meus atendimentos, e é fantástica e transformadora: Durante 21 dias (sem interrupção), escreva em um papel 30 vezes, a cada dia, buscando penetrar em um positivo estado emocional, a seguinte declaração: “Eu declaro que me perdôo e perdôo …(coloque aqui o nome de quem você tem ressentimentos)”.

No começo, você pode sentir dificuldades até de escrever o nome da outra pessoa, tamanho é o poder que ela exerce sobre você, mas com o passar dos dias, você irá se sentir mais confiante e começará a perceber que novas oportunidades surgirão em sua vida, novas amizades construtivas e uma alegria que há muito não sentia. É a prova da libertação que está começando a envolver a sua vida, o seu trabalho e os seus caminhos.

E, a partir daí, com a firme intenção de fortalecer o sentimento de perdão, aprimore o seu gosto pelas leituras positivas, porque um bom livro é uma arma abençoada que você pode usar para enfrentar seus medos, rancores, culpas, enfim, para superar os desafios do mundo e vencer!

Obs. 1: Se você, no processo de 21 dias pular algum dia, se esquecer, por exemplo, você deve iniciar a terapia do perdão desde o primeiro dia, de novo.

Obs. 2: Ao terminar os 21 dias, você vai ler pela última vez as suas declarações, vai respirar fundo e rasgar todos os papeis escritos, queimá-los e jogar as cinzas… Sabe onde??? No vaso sanitário, lugar perfeito para você eliminar, de uma vez por todas, esse lixo emocional que vem há tanto tempo intoxicando sua vida!

Abraços e felicidades,

Eliana

(Psicoterapeuta, coach de relacionamentos, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio) 

CARTAZ CAPTURA