Arquivo de etiquetas: autoconhecimento; autoajuda; psicoterapia; psicoterapeuta; sucesso; autoestima; motivação; motivacional; terapeuta; coaching; Eliana Barbosa; Eliana; felicidade; saúde

5 SENTIMENTOS TÓXICOS QUE AFASTAM A PROSPERIDADE

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Em meus atendimentos e palestras, ensino como trocar sentimentos negativos por positivos, otimistas e construtivos.

Sabendo que sua vida é um reflexo de seu mundo interior – de seus pensamentos, sentimentos, emoções, crenças e preces -, veja, então, como combater 5 sentimentos tóxicos que afastam a prosperidade de você (sempre lembrando que a prosperidade é composta pela boa saúde, bons relacionamentos e dinheiro):

  1. RESSENTIMENTO – Guardar rancor de alguém é estocar lixo dentro de você, que, mais dia menos dia, se transformará em doença ou problemas financeiros. Decida perdoar, lembrando que o perdão não é esquecimento das ofensas no sentido de perder a memória, e sim, no sentido de “deixar de lado” e colocar o ofensor em uma posição de “desimportância” em sua vida.
  2. CULPA – Sentimento improdutivo que sabota sua felicidade e seu sucesso. Se hoje você se sente incapaz de cometer os mesmos erros do passado, então é porque você evoluiu e merece uma chance para mudar. Minha dica é um exercício de autoperdão, onde você vai falar para sua imagem no espelho, duas vezes ao dia (ao acordar e antes de deitar), 21 vezes, a seguinte declaração: “Eu me perdoo e me liberto para ser feliz!”
  3. INVEJAAo invés de ficar se comparando a quem é melhor do que você, faça um trabalho interior de autocomparação, ou seja, veja como hoje você é uma pessoa mais experiente e capaz do que era anos atrás, e valorize-se!
  4. INFLEXIBILIDADETenha compaixão e paciência com aqueles que não são como você. Aprenda a se colocar no lugar dos outros, sentir o que eles sentem, entender o ponto de vista deles, e, assim, seus pensamentos se tornarão mais leves e flexíveis.
  5. MEDOS – Falo aqui dos medos que sua mente cria para bloquear seus caminhos – medo do mal dos outros, do sucesso, da pobreza, de ficar sozinho, das doenças, da velhice, etc… A melhor forma de combater estes medos é usando sua imaginação para se ver feliz e realizado, cheio de boas energias e livre de qualquer temor. Assim, amplie sua fé em Deus e faça a sua parte naquilo em que é possível agir. Sempre digo que o Universo adora apoiar quem sabe o que quer!

Guarde bem: Curar sentimentos é abrir-se para a prosperidade que você merece em sua vida!

  Pense nisso e mude, hoje mesmo, sua vida para muito melhor!!!

 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio)

 

 

O VERDADEIRO ESPÍRITO DO NATAL

 

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Que tal aproveitar esse clima de solidariedade e dedicar um olhar mais amoroso aos seus relacionamentos?

Como a maioria das pessoas, você provavelmente se sente mais sensível nessa época, mais saudoso dos entes queridos distantes, e, por outro lado, receoso por ter que se encontrar com alguns desafetos nas festas de final de ano…

Então, eis aqui seis dicas para você viver o verdadeiro espírito de Natal, com leveza e felicidade:

  • Cuidado para não confundir: Quando sua autoestima está baixa, você passa a vida na tentativa de agradar a todo mundo, e, nessa época do ano, acaba gastando mais do que pode, porque não entende que você é muito mais importante do que os presentes que oferece.
  • Se você dá algo para uma pessoa esperando receber pelo menos o reconhecimento em troca, isso não é generosidade, e sim um investimento. E, pior, se você resolve cobrar pelo bem que faz – aí é uma venda, um negócio. Portanto, faça o bem porque faz bem para sua alma, sem cobranças e decepções diante da ingratidão que receber de volta.
  • Disponha-se a abrir o seu coração e não ficar julgando as pessoas ao seu redor. Entenda a natureza de cada um, e não sofra se essa ou aquela pessoa não é como você gostaria que fosse.
  • Coloque-se no lugar daqueles à sua volta e analise se você tem realmente sido uma boa companhia para elas ou apenas alguém que exige e reclama o tempo inteiro.
  • Assim, neste Natal e sempre, deixe sua luz brilhar, seu sorriso encantar, suas palavras apoiarem.
  • Seja você o portador do maior e mais caro presente que qualquer ser humano espera ganhar: A SOLIDARIEDADE – que se manifesta não só por meio de presentes mas, principalmente, através da compaixão, do reconhecimento do valor do outro, do afeto e do companheirismo!

Quero presenteá-lo neste Natal com o E-book O NATAL E VOCÊ, que, em 91 páginas,  traz profundas reflexões que podem mudar sua vida!!!

Basta  clicar na imagem acima, ou acessar este link – http://bit.ly/ebook-natal e ler, ou fazer download em seu aparelho.

E, finalizando, receba meus carinhosos votos de um Natal pleno de Luz e Paz, e que a mensagem do Mestre Jesus esteja viva em seu coração, hoje e sempre!!!

 

 (Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br)

 

COMBATENDO O ESTRESSE DE FINAL DE ANO

 

(Por Eliana Barbosa*)

 

Estamos às vésperas de 2020 e vejo muitas pessoas, principalmente as ansiosas e perfeccionistas,  passando pelo “estresse de final de ano”.

Outras que também se estressam são aquelas indisciplinadas no gerenciamento de seu tempo – quando “acordam”, percebem que mais um ano chegou ao fim e que deixaram de realizar muitas metas, por falta de um planejamento e acompanhamento mais detalhados.

O final de ano representa a hora do acerto consigo mesmo. Se a pessoa é muito perfeccionista, instala-se nela a culpa por não ter realizado todos os seus projetos e ela se estressa por perceber que não tem controle de tudo.

Outro fator que sobrecarrega a tensão de final de ano são as reuniões familiares, que para certas pessoas são aguardadas com muita angústia e até irritação, em casos de famílias com problemas nos relacionamentos.

Percebo também o estresse desencadeado pela pressão do consumismo – dos presentes a comprar, e pela necessidade de se economizar nesta época para se preparar para os impostos e outras despesas, do começo do novo ano.

Tudo isso é muito desgastante, principalmente para quem é inseguro, pessimista, e vive a vida em função de agradar aos outros.

A meu ver, um agravante do estresse é a pessoa querer ser igual a todo mundo e ter dificuldade de dizer “Não!” ou de dizer “Basta!” na hora certa.

E o que fazer, então?

  • O primeiro passo é tomar consciência das pressões que lhe causam tanto estresse e dedicar-se a aliviar a tensão com mais otimismo, assertividade, calma e autocontrole.
  • Esta é a época do ano que mais lhe cobra equilíbrio das emoções, para você fazer um levantamento dos meses vividos, dos acertos e dos erros neste período, e do que você precisa mudar para que as metas não atingidas possam ser viáveis no novo ano.
  • Flexibilidade é fundamental nesse processo! Faça o melhor que puder hoje, agora, porque é de pequenos passos que se faz a caminhada para a vitória!
  • E que o seu projeto maior de vida tenha como princípio a melhora contínua: “Hoje serei melhor do que ontem e amanhã serei melhor do que hoje!”

Boas Festas!!!

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou +55 (34) 9 9972-4053)

 

A DOR SILENCIOSA DOS HOMENS

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Hoje eu quero falar com você sobre uma dor – silenciosa -, que um número cada vez maior de homens vem sofrendo, ao longo dos tempos: A depressão!

Segundo estatísticas, a maior incidência de depressão está entre as mulheres, mas a maior taxa de suicídios no mundo é entre os homens.

Todos sabem que por trás de uma tentativa – ou do suicídio de fato -, há sempre um quadro depressivo grave e, no meu ponto de vista, as estatísticas não colocam os homens em primeiro lugar na incidência de depressão porque eles são muito resistentes em assumir suas dores emocionais, expor seus sentimentos e  procurar apoio profissional para as suas questões existenciais – mágoas, culpas, medos, baixa autoestima, sentimento de rejeição, etc.

Desde criança, o menino é educado para ser forte, engolir o choro, ser “homem” e não expressar seus sentimentos de forma espontânea. E isso, talvez, seja o que tem levado tantos homens – jovens, adultos e idosos – aos sintomas da depressão e à busca do autoextermínio como se isto pudesse dar fim à sua dor.

É triste esta realidade, mas precisa ser mudada. O que sugiro é que as mulheres em torno dos homens – na família ou no ambiente profissional –  tenham a sensibilidade de observar como eles vivem o seu cotidiano, o que andam lendo ou pesquisando, se eles sabem se cuidar – física, emocional e mentalmente -, e mostrar a eles que procurar tratamento não é sinal de fraqueza, e sim, uma demonstração de inteligência e amor próprio.   

Que você – homem que lê este artigo, neste momento -, possa vencer  o preconceito e a vergonha, permitir a fragilidade dos sentimentos, aceitar sua humanidade, e entender que o psiquiatra não é médico de  “doidos” (como diziam os ignorantes); ele juntamente com um psicoterapeuta são profissionais de qualidade de vida, que irão cuidar tanto do seu corpo, quanto da sua mente e alma, e poderão proporcionar a você a esperança de dias melhores, em que a sua vida volte a ter cor e alegria, que é o que você merece!

Pense nisso com carinho e coragem para expor suas dores emocionais a quem pode orientá-lo neste lindo caminho de cura, libertação e crescimento como pessoa e profissional.

 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou +55 (34) 9 9972-4053)

 

SEU FILHO (OU FILHA) É HOMOSSEXUAL? E AGORA?

 

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Um dos maiores conflitos que vemos em algumas famílias acontece quando os pais descobrem que seu filho (ou sua filha) é homossexual.

Questão delicada, porque até hoje ainda é imenso o preconceito diante do fato de ser pai ou mãe de um homossexual.

Se você está passando por esse processo em sua vida, reflita comigo:

  • Em primeiro lugar, é preciso que você se liberte da ilusão de que seus filhos serão o que você sonha para eles. É daí que nascem as decepções.
  • Entenda que o fato de seu filho ser homossexual não interfere no caráter dele e nem nos valores que ele aprendeu com você.
  • O seu amor por ele deve estar acima de qualquer preconceito. Pai ou mãe que realmente ama seu filho sabe cuidar, valorizar, educar, aconselhar e principalmente entender o que se passa na vida dele.
  • Por isso, procure conversar com seu filho, aceitando e respeitando a orientação sexual dele. A sua aceitação será um porto seguro para ele que, muitas vezes e em variadas situações, sofre ou sofrerá por ser considerado diferente.
  • Se você sente dificuldade em lidar com as angústias e os preconceitos vividos depois que seu filho assumiu a homossexualidade, procure um acompanhamento psicoterápico e sugira o mesmo para ele.
  • Entenda que ser homossexual não é uma escolha ou opção, e muito menos doença ou transtorno mental. Dessa forma, tome cuidado com pessoas que dizem que podem curar ou converter o homossexual, porque ninguém pode mudar a orientação sexual de uma pessoa.
  • Veja o que disse a mãe de Ricky Martin, quando ele revelou sua homossexualidade a ela, por volta dos 21 anos de idade: “Meu filho, eu o amo! Não me importo! Dê-me um abraço!”
  • E, finalizando, seja positivo! Pense bem: Que diferença faz alguém gostar de um parceiro do mesmo sexo? O importante é que seu filho seja honesto, responsável, trabalhador, honrado, saudável e feliz!

 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou +55 (34) 9 9972-4053)

 

PSICOPATAS DA VIDA REAL – NÃO SE DEIXE ENGANAR!

PSICOPATA

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Por que será que as pessoas imaginam que só em novelas existem os psicopatas inseridos nas famílias, nas empresas, na política, no meio religioso e na vida social?

Penso que,  devido ao nefasto poder que eles têm de destruir quem os desafia ou os incomoda, de modo geral as pessoas temem  aceitar que há sim – e muitos – psicopatas na vida real.

Então, para que você esteja blindado contra envolvimentos com estes “seres”, que de humanos não têm nada, eis aqui 8 importantes orientações:

  1. Não se deixe enganar – Embora totalmente desprovido de emoções, o psicopata, dissimulado ao extremo, frio e calculista, sabe interpretar muito bem todas elas – tristeza, saudade, alegria, mágoa, amor, compaixão, bondade, e tantas outras. Cuidado com quem é muito sedutor, e que só fala aquilo que você quer ouvir. O psicopata é um verdadeiro “lobo em pele de cordeiro”.
  2. Desconfie – Na fase da conquista de sua confiança, o psicopata é um amigo incomparável, um ótimo confidente, gosta de contar seus problemas (geralmente mentiras),  e de se fazer de vítima da vida, para que você, com sua generosidade, se sinta motivado a ajudá-lo.
  3. Investigue – Fique de olhos e ouvidos atentos e pesquise sobre essa pessoa tão envolvente. Procure contatos, faça perguntas, busque seu nome na Internet e, se  possível, com os números de seus documentos, procure a polícia. É bem comum encontrar  processos de estelionato e até de outros crimes ligados a esse indivíduo.
  4. Cuide de sua integridade – Depois que o psicopata consegue sua ajuda – em atos ilegais, ou consome seu dinheiro, sua casa, sua alegria de viver -, ele já não se importa mais em esconder o caráter falso e perverso, e é nesse ponto que, coagido, você começa a aceitar tudo, com medo de retaliações.
  5. Aja com cautela: Se descobrir que convive com um psicopata,  nunca tente desmascará-lo ou dizer que vai denunciá-lo. Sendo alguém sem moral e escrúpulos, ele é capaz de inverter a situação ou mesmo fazer qualquer coisa para silenciar você!
  6. A melhor atitude: Sem ameaças, tome providências legais e se afaste o quanto antes, pedindo proteção às autoridades policiais e à sua família.
  7. Para sua segurança: Como o psicopata não se arrepende de suas atitudes perversas e intrigantes, então, mantenha-se distante dele.
  8. Previna-se: Uma boa forma de se defender de ser ludibriado pelos psicopatas é saber dizer NÃO,  sem se sentir culpado por desagradar. Esse tipo de gente não aceita  ouvir um “não” como resposta, e acaba abandonando as pessoas “difíceis”, em busca daquelas ingênuas. Em caso de dúvida, então, o NÃO é uma boa defesa!

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, life coach, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou +55 (34) 9 9972-4053)