Arquivo da categoria: Na Midia

BONDADE DEMAIS PODE ESCONDER PROBLEMA COM A AUTOESTIMA

mulher-folga-1378326138695_956x500

ELIANA BARBOSA CONCEDE ENTREVISTA À JORNALISTA HELOÍSA JUNQUEIRA DE NORONHA – UOL COMPORTAMENTO, EM 25-03-2011

 

PERGUNTA: Quem é boazinha demais pode ter, na verdade, baixa autoestima (um medo intenso de desagradar o outro)? 

Sim, a pessoa sempre disponível para os outros, a boazinha, não tem uma autoestima  boa, porque ela teme desagradar os outros.  É deste comportamento inseguro, de querer agradar todo mundo, de ter medo de dizer “não” quando é preciso, que nascem as nossas decepções com a família, com os amigos ou com os companheiros de trabalho.

Quem é boazinha ou disponível demais tem dificuldade para dizer não? Isso pode vir da infância? Como? 

Sim, a pessoa boazinha ou disponível demais tem uma enorme dificuldade de dizer “não”, sem culpas, por medo da rejeição, do abandono, ou mesmo da crítica,  e todo esse medo e baixa autoestima tiveram sua origem na infância, quando a criança fazia algo errado, levava bronca, apanhava e enfrentava a cara feia da mãe por muito tempo. Essas limitações – medo da crítica e da rejeição, e baixa autoestima –  continuam influenciando a vida da pessoa mesmo na idade adulta por causa de sua carência de afeto.

Como vencer o medo de dizer não? 

A única forma da pessoa vencer o medo de dizer “não” para os outros é tomar a decisão de resgatar sua autoestima, e, nesse processo, começar a exercitar dizer mais “sim” para si mesma.  Ela precisa aprender a sair da passividade, onde dizia “Sim” para todo mundo, mas, precisa ter cuidado com a agressividade. O que vai lhe trazer equilíbrio na vida e fazer com que seja respeitada pelos outros é a assertividade, ou seja, dizer “não” com elegância, sem ofender, mas sem se sentir culpada. Vou repetir: Sair da PASSIVIDADE, tomar cuidado para não cair na  AGRESSIVIDADE e se fixar na ASSERTIVIDADE!

Eu sugiro um exercício para a pessoa que quer treinar dizer “não”: se houver perto dela alguém que anda abusando de sua boa vontade, que procure durante uma semana, para tudo o que esse alguém lhe pedir, dizer como resposta um “não”, bastante assertivo. Por exemplo: “Desculpe, hoje não dá!”, “Que pena, não vai dar para fazer!”, “Sinto muito, quem sabe amanhã…”,  “Humm, estou tão atrasada, preciso sair agora!”, e assim por diante. A pessoa que se sente “abusada” vai perceber que, no final dessa semana, vai se sentir muito mais autoconfiante e vai notar que dizer “não” não é algo tão difícil assim!

E mais, dizer “não” para as pessoas é também um teste para saber quem realmente gosta dela e respeita os seus sentimentos. Se o outro não aceitar a sua resposta negativa ou romper com ela por causa disso, é sinal que ela merece companhia melhor!

Quem se coloca sempre disponível ao outro também pode, inconscientemente, ter medo de assumir as rédeas da própria vida? Por que isso acontece? 

Acredito que sim, pode até ser uma forma inconsciente da pessoa fugir dos próprios problemas, querendo assumir os dos outros. Mas acredito também que são pessoas carentes afetivamente que ficam agradando os outros numa forma inconsciente de serem agradadas também, porém, o que recebem em troca, infelizmente, é a ingratidão, porque geralmente as pessoas não dão valor em que não se valoriza primeiro.

A pessoa disponível, boazinha, que passa sua vida levando todo mundo nas “costas”, precisa estar preparada,  porque quando der uma fraquejada, os outros acostumados a abusar dela vão reclamar, fazer cara feia, vão criticá-la. E sabe de quem é a culpa por isso? Somente dela, que não soube colocar limites nos outros, pois vive com medo de desagradar. É como se na testa dela estivesse escrito assim: “pode pedir, pode abusar, que eu faço tudo pelos outros. Eu gosto de ajudar todo mundo!” O problema é que ninguém valoriza o “bonzinho”!

E o bonzinho é aquele que por não saber dizer “não” quando necessário, costuma engolir muitos “sapos” – um prato altamente indigesto. Dessa forma, vemos muitos bonzinhos obesos, e outros com problemas estomacais tais como gastrites, úlceras, etc, porque não conseguem digerir suas “refeições” diárias. Ou então, vão guardando essa vontade de dizer “não” dentro deles e vão vivendo como verdadeiras “panelas de pressão”, em que, quando menos se espera, explodem com pessoas que não tem a menor culpa da raiva que estão sentindo por dentro.

E, para complementar,  a respeito do perfil dos “bonzinhos”, eles confundem ajudar com apoiar.

Ajudar é bem diferente de apoiar. Ajudar é você fazer pelo outro, o que acredito que não é bom, porque você tira a chance do outro de crescer e sentir-se capaz; apoiar, entretanto, é você dar força para que o outro consiga realizar o seu trabalho, é fazer com ele, mostrando-lhe que é capaz de conseguir alcançar os seus objetivos.

Eu, pessoalmente, acredito que devemos praticar a ajuda só a nós mesmos – a autoajuda; em compensação, não nos faltam oportunidades para praticarmos o apoio, a colaboração ou a solidariedade com os outros e, aí sim, devemos ser abertos para servirmos ao mundo em que vivemos.

Como assumir o controle da própria vida e equilibrar as próprias necessidades com a dos outros? 

  • O primeiro passo é estar bem com a gente mesmo, autoconfiante, sabendo lidar bem com os “nãos da vida”, ou seja, saber dizer “não” quando necessário, sem culpas, e não ter medo de ouvir “não” dos outros – não ter medo de solicitar as coisas e nem temer as críticas.
  • Parar de esperar reconhecimento e respeito dos outros – reconheça-se e respeite-se primeiro.
  • Seja bom, humano, justo, solidário, generoso e caridoso com todos, mas uma pessoa “boazinha” somente com você mesmo! Mostre os seus limites!
  • E se você quer ser feliz e bem sucedido na vida, esteja sempre disponível para perdoar!

Por que as mulheres costumam apresentar mais esse tipo de comportamento? 

Esse comportamento é mais perceptível nas mulheres por uma questão cultural mesmo. Desde a infância, nós, mulheres, somos “treinadas” para sermos certinhas, boazinhas, bonitinhas. Temos que agradar todo mundo, ou então não somos boas meninas. Isso fica tão arraigado no inconsciente das mulheres, que, na vida adulta, cada “não” que elas dizem vem carregado de uma culpa que elas mesmas não sabem explicar.

Por isso, a importância do autoconhecimento na vida das pessoas!!!

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos, terapeuta de Florais de Bach, escritora e palestrante)

E se esta entrevista foi importante para te alertar sobre certos enganos a respeito da sua autoestima, eu aproveito pra te convidar:
VENHA COMIGO PARTICIPAR DO CURSO CURA DOS SENTIMENTOS, onde você vai aprender a dominar sua mente, seus pensamentos e sentimentos para conquistar mais saúde física, mental, emocional, relacional e financeira.

ARTE BANNER 2016


Acesse: www.curadossentimentos.com.br/curso e venha participar desta imersão de  8 horas de duração,  em um trabalho de pura inspiração e transformação rápida e duradoura!
Nova turma na cidade de Uberaba – MG, em 23 de abril de 2016!!!

AMIGA TÓXICA – Revista MARIE CLAIRE

ENTREVISTA PARA MATÉRIA NA REVISTA MARIE CLAIRE – JANEIRO DE 2016  ( PARA JORNALISTA  CAROLINE MARINO)

capa-marie-claire

(Autoria de Eliana Barbosa*)

No mês de novembro de 2015, fui entrevistada pela jornalista Caroline Marino, da Revista MARIE CLAIRE, para uma matéria de Juliana Amaro,  que foi publicada em janeiro de 2016, nº 298, na sessão COMPORTAMENTO, páginas 60 a 63, com o título AMIZADE TÓXICA.

A matéria ficou ótima, com trechos da nossa entrevista, citações sobre o tema extraídas de vários livros e com depoimentos de vítimas de amizades tóxicas. Vale a pena conferir!!!

Como este tema é muito importante, e em meu consultório atendo muitas mulheres vítimas de amizades tóxicas que as levaram a grandes decepções, resolvi compartilhar com você, visitante do meu site, a entrevista na íntegra.

LOGO MC

(MARIE CLAIRE – MC) Listei alguns tipos de amigas tóxicas. É possível mostrar as principais atitudes de cada uma?

 — Invejosa – só critica e te coloca para baixo por inveja  

(ELIANA BARBOSA – EB) A “amiga” invejosa, por ter baixa autoestima e acreditar, inconscientemente, que é inferior a você, usa a crítica e a depreciação como armas que, geralmente, machucam muito.

Por outro lado, há também a “amiga” invejosa disfarçada, que fica te bajulando, falando que você é demais, mas que no fundo está vibrando para que o pior aconteça a você!

Então, não se deixe machucar pelas críticas venenosas, mas tenha cuidado também com quem só fala o que você gosta de ouvir…

(MC)— Egoísta: só procura quando têm problema 

(EB) A “amiga” egoísta não demonstra nenhum interesse no seu bem estar, só no dela. Seu discurso sempre começa e com “Eu…” e termina com  “para mim”.

Ela imagina que o mundo gira em torno dela, e só vai te procurar quando achar que você pode ser útil a ela para resolver algum problema. Cuidado, porque você vai se decepcionar ao longo do tempo, principalmente se ficar esperando que um dia ela irá retribuir a atenção que você dá a ela… Nunca!!!

(MC) — A que só aparece quando termina um relacionamento 

(EB)  Esta é a “amiga” carente, que não sabe ficar sozinha. Se ela tem namorado, te ignora, mas se termina com ele, volta a te procurar. É uma amizade unilateral,  ela só quer mesmo te usar como companhia… Não vale a pena investir em amizade assim…

(MC) — A que parece mais sua filha que amiga

(EB) Esta é a “amiga” que suga você, te pede favores e conselhos o tempo todo, e quando você precisa de um carinho, de uma palavra de incentivo, ela muda de assunto, dá pressa de ir embora, some… E você, fica decepcionada e magoada com quem realmente não vale a pena sofrer.

(MC) — As interesseiras. Só te procuram quando interessam: se tem um balada boa, se seu amigo é  gato, se você tem uma casa na praia… 

(EB) Ah… A “amiga” interesseira só te valoriza quando você pode oferecer algo a ela – um convite para uma festa, apresentar a ela seu amigo “gato”, leva-la com você para a sua casa na praia, pagar um almoço em um bom restaurante, e por aí vai…

Se você diz “não” pra ela, ela fecha a cara e usa chantagem emocional pra te deixar culpada. Saia deste relacionamento enquanto é tempo, porque quanto mais “sapos” você engolir, mais chances de ficar doente, engordar ou se deprimir, com o passar do tempo.

(MC) Consciente ou inconscientemente, pessoas do círculo de convivência podem nos colocar para baixo e sabotar nosso crescimento pessoal com palavras e ações?

(EB) Certamente! As pessoas que mais nos magoam, nos colocam medo, e nos deixam com sentimento de culpa são aquelas do nosso círculo de convivência – pais, irmãos e amigos -,  que nos oferecem aquilo que elas têm dentro de si, e, a maioria, infelizmente, carrega dentro de si muitas crenças limitantes e sabotadoras.

Por isso, é preciso tomar consciência deste fato e detectar, em seus relacionamentos, aquelas pessoas que são tóxicas e nocivas, e se afastar delas. Se não for possível se afastar fisicamente, pelo menos emocionalmente é possível, blindando-se contra a pesada energia que elas emanam, carregada de inveja, crítica e maldade.

(MC) Como identificar uma amiga assim?

(EB) Amizade deve ser sempre uma via de mão dupla, onde ambos os amigos se interessam pelo bem estar do outro, em apoiá-lo nos momentos mais críticos, e se sua amiga é superficial, só fala balelas, só conta da vida dela e dos outros, e não se aprofunda em nada que possa fazer a amizade de vocês prosperar, então é sinal de que ela não merece sua amizade.

Tome cuidado com as pseudoamigas, que premeditam uma amizade apenas para se aproveitarem de você, de modo oportunista.

Desconfie daquelas pessoas que, dizendo-se amigas, invadem sua privacidade e começam a tomar conta da sua vida. A amiga verdadeira é discreta e sabe calar-se e afastar-se na hora certa.

E procure se preservar de relacionamentos competitivos ou dependentes, que acabam por esgotar sua energia em vez de renová-la.

(MC) É importante ficar atenta ao número de repetições de certas situações?

(EB) Sim, errar todas podemos errar, faz parte da nossa natureza. Mas não devemos aceitar erros que se repetem em uma amizade ou mesmo em um relacionamento amoroso, até porque confiança quando se perde, não se recupera mais. Sempre haverá uma desconfiança, um medo, um fio de suspeita.

A melhor forma de não se decepcionar com quem quer que seja é não criar expectativas em relação à outra pessoa e sim, em relação a você mesma. Se você se ama e se admira mais do que a outra pessoa ligada a você por relacionamento, as chances de dar certo são muito maiores.

(MC) Quando finalmente temos consciência de que aquela amizade é tóxica, como se livrar dela?

(EB) A minha melhor dica é afastamento, sem muita conversa. Vá deixando a amizade esfriar, mas não tente expor os motivos, porque muitas “amigas” tóxicas são manipuladoras e vão insistir, chorar, mandar mensagens, até fazerem você se sentir mal e culpada por tentar romper a amizade. Então, é melhor falar pouco e ir se afastando lentamente.

(MC) Confrontá-la ajuda ou o melhor é se afastar?

(EB) Como eu disse acima, se sua “amiga” for egoísta e manipuladora, o confronto pode deixar você em situação de culpa, mesmo sem ser culpada de nada. O melhor é se afastar, sem muitas explicações.

(MC) É possível listar os principais sinais de que a amizade é tóxica? 

(EB) Sim, vamos lá! Tenho aqui pra você 9  sinais de que sua amizade é  tóxica:

1. Sua amiga consome suas energias, de forma óbvia ou sutil, ao invés de ser combustível para seu crescimento? Ela age com egoísmo?

A verdadeira amizade consiste em reciprocidade e compartilhamento.

2.  Ela só quer falar de si, dos próprios problemas e alegrias?

Manter essa relação é alimentar o individualismo dessa pessoa.

3.  Ela é negativa, e quando sai de perto de você deixa uma energia pesada e triste no ambiente?

Cuidado: Pessimismo pode contagiar!

4. Aquela que você considera amiga faz tudo para colocá-la para baixo, criticando-a e depreciando-a?

Afaste-se dela, porque isso é sinal de prepotência e falta de caridade, e sua saúde pode ser prejudicada quando você suporta esses desaforos.

5. Ela é alguém que tem o hábito de culpar os outros por seus problemas?

Ah, então se prepare, porque ela vai descarregar em você responsabilidades que não lhe pertencem.

6. É uma pessoa que não aceita ouvir um “não” como resposta?

Mau sinal – ela provavelmente é manipuladora e utiliza de chantagens emocionais para conseguir o que quer.

7. Ela mente para os outros?Pois então não confie na sinceridade das palavras dela. Por que ela agiria diferente com você?

8. Ela gosta de fazer fofocas?Fique alerta: Se ela fala mal dos outros, vai falar mal também de você.

9. É alguém que não lhe permite se expressar, sempre interrompendo suas ideias e palavras?

Ah, por que você ainda insiste em dizer que isso é amizade? Definitivamente não é!

Por isso, antes de se envolver com qualquer pessoa, em busca de amizade, seja você sua melhor amiga, confidente, companheira.

Quando você se trata bem, fica muito mais fácil escolher para sua vida pessoas que também vão tratá-la com o respeito e a atenção que você merece.

E daqui para frente entenda que o segredo para você não se decepcionar em suas amizades é parar de esperar das pessoas aquilo que elas ainda não são capazes de oferecer.

Seja amiga e generosa, faça sua parte, porém jamais permita que alguém a faça se sentir inferior e desconfortável.

(MC) As amigas tóxicas tem sempre um sentimento em comum, como a inveja?  

(EB) Sempre digo que a inveja é um sentimento de admiração mal administrado….

Acredito que a inveja costuma sempre estar presente em relacionamentos tóxicos, onde a outra pessoa se sente incomodada com o seu brilho, o seu sucesso, a sua alegria, a sua forma de encarar a vida, mesmo diante das dificuldades naturais do viver. E aí, esta amiga tóxica, não sabendo lidar com a inveja, passa a te criticar, a te colocar pra baixo, a trazer problemas para sua vida, numa forma de anular o seu brilho e o seu entusiasmo.

(MC) Isso pode vir desde a infância? Tem algo a ver com carácter, criação… 

(EB) Sentimentos negativos, sejam eles pessimismo, inveja, egoísmo, dependência emocional, baixa autoestima e outros têm a ver sim com a personalidade da pessoa que ela já traz ao nascer, mas o ambiente em que vive e o que ouve e vivencia desde a infância têm também um peso enorme na manifestação destes sentimentos. Então, se a pessoa já tem uma tendência a ser egoísta, ou invejosa, ou pessimista, ou crítica…, por exemplo, e se for criada em um ambiente solidário, ético, otimista, amigo e incentivador, essa tendência ao comportamento tóxico, caso se manifeste, será muito mais branda e controlável.

(MC)Qual o perfil psicológico dessas “amigas”? 

(EB) Algumas são egoístas, outras invejosas, manipuladoras, maledicentes ou apenas negativas, pessimistas…

Não podemos generalizar, porque existem pessoas boas, de bom caráter, mas que ainda espalham notícias sobre as dores dos outros, contam as tragédias que ficam sabendo, comentam o mal o tempo todo. São “amigas” que tentam ser boas pra gente, mas, sem perceber, se comportam como “vampiras energéticas”, porque nos sugam as energias, com suas conversas tolas e negativas. Conheço profissionais super competentes em suas áreas de atuação, que, embora tentem se tornar amigas de suas clientes (como é de se esperar em todo atendimento de qualidade), não conseguem por se portarem desta forma tóxica e desgastante.

Você deve sempre observar e se cuidar em relação àquelas “amigas” que…

  • Só demonstram interesse na sua vida, escutam seus problemas e suas histórias, quando elas querem usar algo a favor delas mesmas…
  • Elas cortam sua conversa o tempo todo, pra falar de si próprias.
  • Elas só comentam mal dos outros, reclamam da vida, colocam defeito em tudo, querendo sempre parecer que são vítimas de tudo e de todos…
  • Quando percebem que você quer se posicionar diante de uma situação, quando você diz “não” para as solicitações delas, elas usam de chantagens emocionais, cara de tristeza, de choro, ficam dias sem ligar, para despertar a sua culpa e piedade… Cuidado, porque isso é pura manipulação!!!

Atenção: Se você não se vigiar, você acaba “envenenada” com tanta negatividade e maledicência!!!

*(Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, escritora e palestrante motivacional – www.elianabarbosa.com.br)


IMPORTANTE: PARA SE BLINDAR CONTRA AS AMIZADES TÓXICAS, É PRECISO FORTALECER SUA AUTOESTIMA.

Por isso, eu te convido para conhecer um treinamento online para mulheres, que desenvolvi, chamado PROJETO VOCÊ MELHOR EM 30 DIAS, onde, passo-a-passo, eu ensino como reconhecer suas qualidades e fraquezas, suas crenças limitantes e transformá-las em fortalecedoras, como resgatar sua autoestima e autoconfiança e, assim, saber se relacionar com os outros sem dependência emocional ou medo da solidão. Enfim, você vai receber uma apostila (Plano de Ação) com mais de 60 páginas, 30 áudios que gravei para cada dia deste mês de transformação e mais de 30 vídeos para você ir assistindo ao longo das 4 semanas desta jornada. Além dos variados bônus que vou te presentear (E-books, “A Terapia do Perdão” em áudio, e um curso de 3 módulos para o seu autodesenvolvimento).

CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM PARA SABER TUDO!!!

projeto30dias

 

 

 

 

 

 

QUANDO A AMIZADE É TÓXICA – O QUE FAZER? (Entrevista)

 

MASCARAS-DE-VIDA

 

(Por Eliana Barbosa*)

Dias atrás fui entrevistada pela jornalista Janaina Medeiros, para uma matéria no Jornal A FOLHA UNIVERSAL, sobre AMIZADES TÓXICAS.  

Eis aqui as perguntas e respostas da entrevista: 

1 – FOLHA UNIVERSAL: Como identificar as amizades tóxicas, nocivas? Quais são os sinais que a mulher pode notar que está se envolvendo com uma amizade que não lhe faz bem? Cite algumas. 

ELIANA BARBOSA: Primeiramente, é preciso entender que pessoas tóxicas ou nocivas são aquelas que influenciam negativamente quem está perto delas, quem convive com elas. Existem amigas de verdade, que te deixam melhor quando você está perto delas, e as “amigas da onça” que, de uma forma ou de outra, sugam sua energia, te cansam, dão maus conselhos, são pessimistas, etc…

amigas-toxicas-19

Vamos a alguns sinais:

  • Sua amiga consome suas energias, de forma óbvia ou sutil, ao invés de ser combustível para seu crescimento? Ela age com egoísmo? A verdadeira amizade consiste em reciprocidade e compartilhamento.
  • Ela só quer falar de si, dos próprios problemas e alegrias? Manter essa relação é alimentar o individualismo dessa pessoa.
  • Ela é negativa, e quando sai de perto de você deixa uma energia pesada e triste no ambiente? Cuidado: pessimismo pode contagiar!
  • Aquela que você considera amiga faz tudo para colocá-la para baixo, criticando-a e depreciando-a? Afaste-se dela, porque isso é sinal de prepotência e falta de caridade, e sua saúde pode ser prejudicada quando você suporta esses desaforos.
  • Ela tem o hábito de culpar os outros por seus problemas? Ah, então se prepare, porque ela vai descarregar em você responsabilidades que não lhe pertencem.
  • É uma pessoa que não aceita ouvir um “não” como resposta? Mau sinal – ela provavelmente é manipuladora e utiliza de chantagens emocionais para conseguir o que quer.
  • Ela mente para os outros? Pois então não confie na sinceridade das palavras dela. Por que ela agiria diferente com você?
  • Ela gosta de fazer fofocas? Fique alerta: se ela fala mal dos outros, vai falar mal também de você.
  • É alguém que não lhe permite se expressar, sempre interrompendo suas ideias e palavras? Ah, por que você ainda insiste em dizer que isso é amizade? Definitivamente não é!

 É bom lembrar que existe um tipo de amiga que até tem boas intenções, é do bem, mas que tem um padrão de pensamento negativo e pessimista. Infelizmente, ela acaba se tornando uma presença tóxica também, porque a energia que ela irradia é triste e pesada. Nesse caso, sabendo que ninguém pode mudar o outro, o que você pode fazer é estar sempre preparada com um alto astral quando for estar com ela, para não se contaminar com o azedume ou a tristeza. E procure só conversar com ela assuntos que sejam edificantes e construtivos.

 2 – FOLHA UNIVERSAL: Explique o quanto uma amizade pode prejudicar uma pessoa, no caso a mulher. 

ELIANA BARBOSA: Amizade vale a pena quando ela acrescenta valor e alegria à nossa vida, bem como quando sentimos que podemos acrescentar também valor e alegria à vida de nossas amigas.

Uma amizade tóxica pode causar prejuízos na sua vida emocional e até física. Veja este caso: Ana foi diagnosticada com depressão, por seu médico psiquiatra, e, ao contar para sua amiga “da onça”, ela, ao invés de incentivá-la a levar o tratamento a sério, fez pouco caso e ficou falando que remédios pra depressão viciam (o que não é verdade!), e influenciou Ana a  parar com o tratamento que iria lhe trazer de volta qualidade de vida e alegria de viver. Se Ana tivesse mais autoconfiança, ela perguntaria à “amiga”: “Você é médica para afirmar essas coisas? Eu confio no meu médico e vou me cuidar!”

 3 – FOLHA UNIVERSAL: O que a leitora pode fazer para não ter amigos assim?  

ELIANA BARBOSA: O mais importante é ter uma boa autoestima, pois assim você vai parar de “mendigar” atenção dos outros, e não precisará mais ficar dizendo “sim” o tempo todo, só por medo de ficar sozinha.

Quando uma pessoa se ama e se valoriza, ela não admite ser maltratada, criticada, colocada pra baixo, como costumam fazer as amigas “tóxicas”. No começo, para conquistar sua atenção, elas fingem ser solícitas e companheiras, mas depois, quando percebem sua insegurança, elas se revelam como são – críticas, invejosas, pessimistas, de mal com a vida!

Por isso, antes de se envolver com qualquer pessoa, em busca de amizade, aprimore seu amor próprio, seja você sua melhor amiga, confidente, companheira. Quando você se trata bem, fica muito mais fácil escolher para sua vida pessoas que também vão lhe tratar com o respeito e a atenção que você merece.

E daqui para frente entenda que o segredo para você não se decepcionar em suas amizades é parar de esperar das pessoas aquilo que elas ainda não são capazes de oferecer. Seja amiga e generosa, faça sua parte, porém jamais permita que alguém a faça se sentir inferior e desconfortável. 

4 – FOLHA UNIVERSAL: É melhor conversar com uma amiga assim ou não? É possível ter um confronto direto? 

ELIANA BARBOSA: Conversar com uma pessoa assim é perda de tempo, porque a única pessoa que você pode mudar nesse mundo é VOCÊ MESMA!!!

Então, insistir em uma amizade tóxica, mais cedo ou mais tarde, vai lhe decepcionar, lhe ferir, é como “dar murro em ponta de faca”.

E evite o confronto direto, porque pessoas tóxicas podem ser manipuladoras,  e é possível que essa “amiga” insista, comece a chorar,  mandar mensagens, até fazer você se sentir mal e culpada por tentar romper a amizade. Então, é melhor falar pouco e ir se afastando lentamente. 

5 – FOLHA UNIVERSAL: O melhor é se afastar? E como fazer isso sem desprezar a amizade? 

ELIANA BARBOSA: O melhor é mesmo se afastar e deixar essa “amiga” de lado. Amizade assim você não deve cultivar!

Procure não comentar com outras pessoas sobre isso, para não atiçar a raiva e o desejo de vingança nessa “amiga” tóxica e venenosa. Para o seu próprio bem, seja discreta e siga sua vida, e, daqui para frente, atraindo companhias mais alegres e positivas! 

6 – FOLHA UNIVERSAL: Qual o melhor caminho a fazer para sair de uma amizade tóxica? 

ELIANA BARBOSA: Você deve fortalecer sua autoestima e autoconfiança,  exercitar a sua assertividade (capacidade de dizer “não” sem se culpar por isso), e ir se afastando, sem dar justificativas o tempo todo.

Não insista em manter relacionamento com quem a deprecia, a desvaloriza, ou a faz sofrer.

A única coisa que você pode fazer por uma “amiga” tóxica é rezar por ela, para que ela acorde para a vida,  queira mudar o seu próprio jeito de ser, e entenda que ser amiga é se conectar com a outra pessoa, acompanhar e comemorar com ela suas vitórias, e vibrar pela sua felicidade.  Amiga de verdade é fonte de incentivo, alegrias e compartilhamento.

(*Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, escritora,  palestrante motivacional e apresentadora de TV)

A matéria foi publicada no dia 06 de dezembro de 2015, e para ler, basta você clicar na imagem ou no título abaixo: 

Quando a amizade é tóxica – O que fazer quando ela atrapalha a sua felicidade?

FOLHA UNIVERSAL

 

 

CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM ABAIXO PARA GANHAR ESTE E-BOOK

EBOOK DÊ UM BASTA AOS RELACIONAMENTOS TÓXICOS - Cópia

 

 

ILUMINAÇÃO AO ALCANCE DE TODOS

 

 

meu-eu-sol-sou

SERES ILUMINADOS

(Matéria publicada no Jornal DIÁRIO DA REGIÃO, de São José do Rio Preto, no dia 12 de Março de 2006, pelo jornalista Fabiano Ferreira)

Não há guru, manual de autoajuda ou conselho de amigo que torne uma pessoa especial.

Num mundo de padrões, comportamentos copiados e atitudes mecanicamente cronometradas para garantir a imagem, ser autêntico, mostrar a verdadeira essência (e fazer a diferença) é dádiva para poucos. E, felizmente, há pessoas que parecem verdadeiros “seres iluminados”. São aqueles que estão sempre de bem com a vida (mesmo que tenham problemas), sorriem para todos, não se colocam acima do bem ou do mal, e irradiam uma energia inexplicável, que faz com que todos queiram sua presença.

Teríamos mais seres assim à nossa volta não fosse o comportamento doentio que muitos adotam diante dos obstáculos naturais da vida. Quantos seres iluminados há por aí presos em seu egoísmo, seus caprichos e em sua arrogância?

Um dos caminhos seria observar melhor as pessoas à nossa volta, detectar quem são os seres iluminados e aprender com eles. Com certeza o resultado será positivo.

Há muitas explicações para a conduta das “pessoas iluminadas”. Tudo conta: a educação, as experiências, a vontade constante de aprimoramento, a visão humanística do caos em que vivemos, e, principalmente, o grau de espiritualidade.

Não é regra, mas os seres iluminados geralmente são muito ligados à espiritualidade. Parecem ter um conexão com o divino, o que lhes permite passar por cima dos rumores do cotidiano em função de uma ordem maior.

Na linha espiritualista, a médica Marlene Nobre, presidente da Associação Médico-Espírita (AME-Brasil), explica que a personalidade, aquilo que temos de mais característico, pertence à alma. “O alto-astral, o bom humor, a visão positiva daquilo que cerca a pessoa iluminada é conquista do seu espírito imortal ao longo de milênios de evolução. Percorrendo milhares de existências sucessivas, o espírito vai se depurando e cometendo menos erros em relação à Lei de Deus que é, sobretudo, amor”, diz.

Para os espíritas, pessoas positivas são almas que não trazem complexos de culpa de outras vidas e por isso estão em vias de realizar um progresso espiritual maior.

Mesmo quem acredita neste raciocínio não deve esquecer que a aura iluminada pode ser uma conquista. “Todos estamos aqui para desenvolver sentimentos nobres e inteligência superior. Quanto mais ampliarmos o amor a Deus, a fé em seus desígnios, e a caridade em nossos sentimentos e atos, mais alegres e iluminados seremos”, comenta Marlene.

 Identifique os iluminados:

:: Eles irradiam leveza

:: Levam alegria aos diversos ambientes que freqüentam

:: Contagiam as pessoas ao redor, com novas formas de enxergar a vida

:: Estimulam os outros a buscar soluções, evitando só enxergar os problemas

:: São mais criativos, buscam soluções inovadoras

:: Quando há problemas seu foco está em encontrar quais os benefícios que esses problemas trouxeram

:: Acreditam que todos os fatos, sejam bons ou não, trazem aprendizados importantes

:: Não se lamuriam, conseguem perceber que lamentações não levam a lugar nenhum

:: Geralmente são pessoas que torcem pelos outros, que querem vê-los bem

Deixe-se contagiar

É saudável se deixar contagiar pelas pessoas iluminadas. Mais importante ainda é procurar seguir seus bons exemplos.

Para viver na luz é preciso cultivar a humildade. Os iluminados não devem agir pensando em ensinar aos outros, mas sim de modo a serem coerentes consigo no cultivo e na conquista da paz. “Como sabemos, a paz é um caminho árduo que se conquista não somente através do de bons pensamentos e palavras, mas sobretudo por atos bondosos na vida cotidiana”, completa a médica.


 

Ilumine-se com fé, leveza e amor a si e ao próximo

Era uma vez um homem chamado Jesus. Ele possuía um brilho natural. Sua luminosidade era notada em suas palavras, seu jeito de levar a vida de forma leve e também pelo elevado grau de seus pensamentos. Por onde passava era notado e admirado. Seu grande segredo era o amor. Está aí o exemplo de uma pessoa verdadeiramente iluminada, que continua sendo ponto de referência para a humanidade.

Na história, a lista de iluminados é grande: Madre Teresa de Calcutá, Gandhi, Cora Coralina, e tantos outros que, mesmo anônimos, deixaram para trás um rastro de alegria e esperança para o mundo.

No dia-a-dia também encontramos pessoas assim, desde as mais simples àquelas que se dedicam a aprimorar sua luz e repassar aos outros o fruto de suas conquistas morais e espirituais.

Os psicólogos garantem: todos temos condições de nos tornar pessoas melhores e mais úteis para os que estão à nossa volta. Não existem receitas infalíveis. As escolhas são de cada um.

E o comportamento iluminado flui conforme as mudanças de atitudes. Sem elas, não há “santo que faça milagres”.

[APRENDA COMO MUDAR SUAS ATITUDES E, ASSIM, MUDAR O RUMO DE SUA VIDA]

A terapeuta neurolinguística Marcelle Vecchi explica que o cérebro armazena tudo que já nos aconteceu, desde que nascemos até o momento atual, através de imagens. A mente desenha os fatos que estão nos acontecendo, captando os sentimentos e os sons envolvidos. Dependendo da qualidade dessas imagens (positivas ou negativas), o cérebro libera um tipo de sentimento correspondente.

“Por isso é tão importante policiar os pensamentos e palavras. Se estudarmos o que fazem essas pessoas iluminadas notaremos que elas já possuem uma gama de arquivos positivos, por isso irradiam um brilho natural”, diz.

Vamos aos exemplos. A pessoa acorda e pensa: “hoje não estou bem, não vou conseguir fazer o que preciso”. No mesmo instante o cérebro está criando uma imagem de impotência e fraqueza. Naturalmente ele envia a essa pessoa sentimentos que correspondam a esses obstáculos, potencializando seu estado negativo. Ele opera de acordo com as mensagens que enviamos.

“Todos podemos adquirir um brilho natural treinando e policiando nossos pensamentos e palavras. Mas é necessário muita dedicação, pois teremos de formar novos arquivos”, diz a terapeuta.

O começo do treino é mais difícil, pois pensamentos contrários ao bem aparecem com facilidade. Mas quem deseja melhorar sua aura e a imagem diante do outro tem de quebrar o padrão aos poucos, adotando novas maneiras de pensar e agir.


Dicas:

:: Concentre-se em sua capacidade de cuidar de si mesmo

:: Em vez de enfatizar seus problemas, invista em sua capacidade de resolvê-los

:: Recompense seus esforços mesmo que não consiga exatamente o que queira

:: Mude o foco do sofrimento para as lições que ele pode ensinar a você

:: Aprenda a se concentrar no que pode fazer e desista da ideia de que os outros devem fazê-lo por você


Como aprender com a conduta dos ‘iluminados’

As atitudes das pessoas iluminadas são dignas de se tornar lição. Quem tem a oportunidade de conviver com pessoas assim pode começar a prestar mais atenção em seus gestos para então adotar um comportamento mais libertador.

NOITE DE AUTÓGRAFOS - BIENAL - 10-03-06

Antes de autografar seu livro “Acordando para a Vida” (Editora Novo Século), na noite de sexta-feira, na Bienal do Livro, a psicóloga e escritora Eliana Barbosa falou sobre o assunto no Diário.

Leia abaixo trechos da entrevista:

Diário da Região – Por que algumas pessoas parecem ser iluminadas? Ou seja, estão sempre de alto-astral, bom humor.

Eliana Barbosa – Algumas pessoas parecem ser iluminadas porque elas têm em si um carisma e uma energia positiva que as diferenciam das demais pessoas. Independentemente do seu poder posicional (cargos que ocupam na vida profissional), os iluminados têm um poder pessoal muito grande (autoridade moral) e demonstram sua sinceridade, autoconfiança e generosidade pelo brilho de seus olhos. Por todos estes atributos, as pessoas iluminadas se tornam “imãs humanos”, porque todo mundo quer ficar perto de quem pode lhe influenciar para melhor, pode colocar luz sobre as suas dúvidas e questionamentos.

Diário – Esse comportamento pode ser aprendido ou ele nasce com a pessoa? É possível se tornar uma referência assim?

Eliana – Isso depende muito da personalidade e da sua criação. Há pessoas que já nas-cem com um brilho diferente e amoroso no olhar e se tiverem uma educação que lhes prepare para fazer uma diferença positiva no mundo, então serão pessoas iluminadas e atuantes no meio em que vivem. Entretanto, é possível se iluminar ao longo da vida e, neste caso, cabe a cada um fazer a sua escolha. O comportamento “iluminado” se aprende através de modelos, de leituras e muito treinamento de perseverança no bem, além de otimismo (acreditar no melhor) e entusiasmo (fazer o melhor acontecer). Na verdade, a pessoa iluminada é alguém que está sempre na postura de aprendiz da vida, sedento de novas aprendizagens e pronto para ensinar àqueles que quiserem aprender com ele. O iluminado, a meu ver, tem a missão de encaminhar outros seres para a iluminação, entendendo aqui que ser iluminado é assumir que estamos neste mundo para crescer e apoiar a todos em seu crescimento. É bom deixar claro que as pessoas iluminadas também têm seus momentos de tristezas, de fraquezas, mas elas têm uma fé e uma força interior tão grandes que, em pouco tempo, superam os sentimentos negativos e retomam a sua caminhada rumo ao sucesso e à felicidade. As pessoas iluminadas já aprenderam que a vida acontece no presente e procuram, constantemente, se libertar das amarras do passado (ressentimentos e culpas) e, quanto ao futuro, acreditam no melhor, porque, dia-a-dia, fazem um plantio e um cultivo de “sementes” sadias.

Diário – Qual o efeito nas relações em ter uma pessoa dessas por perto? O que aprender com elas?

Eliana – É muito bom conviver com pessoas iluminadas. Elas são mais compreensivas e sinceras, porém é bom deixar claro que elas são muito assertivas, ou seja, só dizem “sim”, quando for “sim” e dizem “não” quando for necessário, sem culpas. E esse exemplo de assertividade é muito importante, porque demonstra que elas possuem uma elevada autoestima e por isso têm tanto brilho nos olhos e na alma.

[APRENDA 3 PASSOS PARA DIZER “NÃO” SEM SE CULPAR POR ISSO]

Há quem chame as pessoas iluminadas de “almas perfumadas”. O interessante é que pessoas iluminadas são boas sem serem “boazinhas” e é por isso que são tão valorizadas.
Outro aspecto importante é que, diferentemente das pessoas revoltadas, as pessoas iluminadas assumem que são senhoras do seu destino, autoras de sua própria história e, com isso, assumem a responsabilidade pelos seus erros e acertos. Podemos também aprender com elas a importância da gratidão e da humildade, porque o encanto que elas criam em torno de si advém justamente da forma como elas são gratas a todos.

Diário – O “iluminado” é invejado? Ele sofre por ser assim?

Eliana – Todos que fazem uma diferença positiva no mundo são invejados. Então, a pessoa iluminada tem muitos inimigos, muitas vezes até disfarçados de amigos, porque o seu brilho perturba quem ainda se compraz em viver na escuridão. Acredito que a pessoa iluminada se aborreça por ser invejada, principalmente quando a inveja vem de seus próprios familiares e amigos, mas, com o entendimento que ela tem da sua própria finalidade de vida, este aborrecimento não chega a se tornar um sofrimento, porque a sua vontade de acertar e colaborar com o mundo é muito maior do que estes sentimentos negativos que a cercam.

Diário – Como pessoas assim podem ajudar outras a adotarem um comportamento positivo diante dos problemas comuns do cotidiano?

Eliana – As pessoas iluminadas entendem que ninguém pode ajudar a ninguém, a não ser a si mesmo – autoajuda, pois ajudar significa fazer pelos outros, o que não é produtivo. Mas apoiar sim… Apoiar é a grande missão de vida das pessoas que se iluminam através da fé, do conhecimento e da sua força interior. As pessoas iluminadas são pessoas comuns que aprenderam a cultivar a essência divina que todos trazemos dentro de nós. Com isso, elas são modelos positivos de comportamento para todos aqueles que buscam se melhorar e que buscam se livrar das crenças limitantes que fizeram parte de sua criação. As pessoas iluminadas exemplificam que, com crenças libertadoras – “Eu consigo”, “Eu posso”, “Tudo está bem em meu mundo”, “Cada dia me sinto melhor e melhor”, é possível, diante das dificuldades do cotidiano encontrar soluções e novas oportunidades de progredir e vencer.

Neste Natal, faça diferente: FAÇA A DIFERENÇA, com PRESENTES que inspiram e transformam!!!

NATAL E LOJA VIRTUAL CLIQUE AQUI PARA VISITAR MINHA LOJA