Arquivo da categoria: Dicas e Reflexões

SETE DIAS PARA MELHORAR SEUS RELACIONAMENTOS

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Se você convive com pessoas complicadas, consigo imaginar o seu desgaste emocional no dia-a-dia. Você sabia que, segundo estudos, 60% dos assassinatos na cidade de São Paulo, no Brasil, têm como causa discussões por motivos banais, no trânsito, entre vizinhos, ou mesmo em casa?

Então, hoje, eu vou lhe ensinar como, em uma semana, aprimorar sua capacidade de se relacionar, contornando os obstáculos da convivência. Vamos lá:

SEGUNDA-FEIRA: Quando essa pessoa problemática se aproximar, ao invés de você se sentir incomodado, procure emanar vibrações positivas para ela, repetindo, mentalmente: “Ela é maravilhosa!” Mesmo que não seja verdade ainda, entenda que  pensamento é pura energia, e o que vai sempre volta…

TERÇA-FEIRA: Procure um motivo real para elogiá-la, e, se possível, faça o elogio em público, para que ela se sinta mais valorizada.

QUARTA-FEIRA: Você vai, secretamente, em um papel, fazer uma lista de todos os desaforos que já ouviu dessa pessoa que o irrita, como se estivesse fazendo uma faxina em suas emoções. Depois, leia cada tópico e despeça-se desse lixo, colocando fogo neste papel. O que ela pensou ou pensa de você não é problema seu!

QUINTA-FEIRA: Você vai começar a trabalhar a compaixão – mentalmente, coloque-se no lugar da pessoa complicada e imagine como pode ter sido sua infância, como ela deve ter passado ou está passando por situações que, de alguma forma, têm  afetado seu comportamento.

SEXTA-FEIRA: A partir de agora, você não vai mais julgar, nem reclamar dessa pessoa! Quando alguém falar mal dela, você vai mudar de assunto, cancelando, assim, a maledicência.

SÁBADO: Você vai praticar a paciência, procurando ouvi-la com mais atenção, entendendo a vida pelo ponto de vista dela. Nada melhor do que ouvidos generosos para conquistar as pessoas!

DOMINGO: Depois de tantas habilidades adquiridas, dia de fazer uma gentileza: ofereça a ela uma revista nova, um jornal, ou um café bem gostoso, e a convide para conversar, sem críticas, nem queixas ou condenações.

Certamente, ao final dessa semana, esta convivência conturbada terá melhorado.

Mas lembre-se: esta estratégia não é para mudar o outro, e sim para fortalecer em você suas competências nas relações pessoais, seja com quem for!

 

Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos.

Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou pelo WhatsApp: +55 (34) 99972-4053

 

APRIMORE SUA AUTOESTIMA E, COM ISSO, FORTALEÇA SUA CAPACIDADE DE SE RELACIONAR MELHOR.
CLIQUE E CONFIRA!
PROJETO VOCÊ MELHOR EM 30 DIAS – CURSO ONLINE PARA MULHERES!

CONVIVÊNCIA COM PESSOAS TÓXICAS

 

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Em meus atendimentos e até em palestras, é bem comum ser questionada sobre como lidar com pessoas complicadas e pessimistas.

Se esse é um desafio que você enfrenta em seu dia a dia, vivendo um relacionamento tóxico, entenda que uma pessoa é tóxica por causa de seu próprio modo negativo de ser, e daqueles problemas que ela faz questão de cultivar.

Por isso, é importante que você aceite que o comportamento de uma pessoa tóxica, ao seu lado, não tem nada a ver com você. Essa é a natureza dela e ninguém pode mudar ninguém, a não ser a si mesmo.

A sua própria transformação interior pode servir de inspiração para a mudança dos outros, e isso é tudo que você pode fazer.

Na vida, cada um de nós tem que assumir a responsabilidade por nossas próprias ações, mas as pessoas tóxicas não fazem isso.

Elas têm o hábito de transformar as coisas ao redor, de distorcer os fatos, de forma que você se sinta mal, culpado, como se estivesse em falta com elas.

Porém, a partir do momento em que percebe esse “jogo”, você  começa a resgatar seu poder pessoal, reagindo a seu favor, e não se permitindo mais ser afetado por essa toxicidade.

É quando chega a hora do “BASTA!” – Basta desse jogo, basta de engolir acusações, e basta de aceitar críticas e culpas!

E, em nome de sua felicidade, perdoe e esqueça – não no sentido de perder a memória – isso é impossível, a não ser que você sofra um acidente cerebral.

O verdadeiro sentido de “esquecer as ofensas” é deixar de lado essa pessoa que tanto veneno trouxe à sua vida, relegando a ela uma posição de  “desimportância” em sua história!

Só assim você conquistará sua liberdade emocional e a alegria de ser quem você é!

 

Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos.

Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou pelo WhatsApp: +55 (34) 99972-4053

 

 

TRANSTORNOS ALIMENTARES

Dias atrás, fui solicitada pela jornalista Kelly Lopes, da Folha Universal, para que escrevesse sobre os transtornos alimentares,  para uma matéria do jornal, referindo-se a um caso em que uma mãe, atriz de Hollywood,  influenciou negativamente a própria filha, também atriz, nestas questões de  autoimagem, alimentação, dieta e emagrecimento.

Então, compartilho aqui o artigo que escrevi e, logo após, a matéria publicada no jornal.

DE MÃE PARA FILHA

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Em uma matéria publicada no site norte-americano Huffington Post, a atriz Jennette McCurdy, de 26 anos, revelou, de forma comovente, que sofre com anorexia desde os 11 anos de idade e atribuiu a doença às cobranças dos produtores de TV e da própria mãe para que ficasse magra.

Aos 21 anos de idade, a atriz começou a apresentar quadro de bulimia, que alternava com compulsão alimentar, e foram 13 anos vivendo essa “montanha russa emocional”, e os dois últimos anos em tratamento e recuperação.

O que mais toca em seu depoimento é a forma como sua mãe (que também havia passado por períodos de transtornos alimentares) a influenciou nesse processo: “Infelizmente, eu tinha uma companhia pronta para me ajudar com a anorexia crescente: a minha mãe! Eu me lembro do que sentia quando a minha mãe atacava o meu corpo, o meu peso e a minha dieta. Ela regularmente comparava o meu peso ao de outras meninas. Ela fazia porções de comida para mim, contava minhas calorias. Na época, ao invés de me incomodar com as sugestões, eu achava que ela estava me ajudando”.

Infelizmente, não são poucos os casos de complexos e neuroses que as pessoas carregam ao longo da vida e transferem, de forma consciente ou inconsciente, para seus filhos, através cobranças exageradas, críticas, comparações ou mesmo gerando culpas sem fundamento.

E o triste é que as crianças, com tais exemplos no lar, crescem inseguras de seu valor e aprendem a viver na base da comparação, o que pode se tornar um enorme problema, quando chegam à adolescência e à vida adulta.

O complexo em relação ao corpo muitas vezes é tão atuante na vida da pessoa que se torna uma obsessão, que hoje é conhecida por “dismorfofobia” ou “síndrome da distorção da imagem” – um transtorno psicológico caracterizado pela preocupação obsessiva com algum defeito inexistente ou mínimo na aparência física.

Casos muito sérios são relatados, principalmente de jovens meninas acometidas por anorexia e bulimia, que são transtornos alimentares ligados às distorções da autoimagem – elas olham-se no espelho e veem-se sempre acima de seu peso real. E  dar espaço para os complexos é abrir portas para as comparações que destroem a autoimagem de uma pessoa.

Quem é inseguro, com baixa autoestima e necessidade de aceitação social, se deixa levar por padrões de beleza, e precisa, na verdade, de um sério trabalho no resgate de sua autoestima.

Mães neuróticas com o peso corporal e a beleza física podem fazer um grande estrago na vida emocional de suas filhas, gerando, no futuro, consequências graves tanto para seu corpo quanto para sua alma, cheia de inseguranças, complexos, ressentimentos e culpas, com tendência depressiva e, em alguns casos, suicida também. Afinal, estes transtornos alimentares são formas inconscientes de autoextermínio.

Uma verdadeira devastação emocional!

Daí a importância de um apoio terapêutico para trabalhar esses sentimentos que intoxicam a vida dessas mulheres, e, em casos mais sérios e persistentes, é necessário associar o acompanhamento de um médico psiquiatra, que provavelmente irá recomendar medicamentos que são altamente eficazes para estes transtornos.

A nossa relação emocional com a comida se inicia com nosso nascimento, em que o bebê associa alimento com amor. E assim, todos crescemos usando a comida para celebrar momentos importantes, e o alimento como fonte de prazer, mas também de compensação em  situações de estresse, ansiedade, angústia e carência afetiva.

É interessante notar que as emoções negativas podem afetar o apetite de formas diferentes nas pessoas: umas se tornam compulsivas em relação à alimentação e outras perdem completamente a fome. E todo comportamento extremo precisa ser avaliado e tratado.

Somente equilibrando emoção e razão é possível controlar de forma saudável nosso apetite em qualquer circunstância de nossas vidas.

E em momentos de desequilíbrio na forma de se alimentar, é importante se perguntar: Afinal, como eu estou alimentando minha alma?

São poucos que compreendem que, além de todos os cuidados físicos, nossa saúde depende do bem estar dos nossos pensamentos, sentimentos e emoções, que determinam a qualidade da vida que teremos.

No caso de filhas que cresceram sofrendo a ditadura da beleza impostas por suas próprias mães ou familiares, e desenvolveram transtornos alimentares, a melhor forma de começar seu tratamento emocional, a meu ver,  é com técnicas de perdão e autoperdão. Precisam perdoar suas mães e se perdoarem, também, pela culpa que sentem ao ter ressentimento de suas próprias mães. O perdão será o verdadeiro alimento que todas elas precisam para curar suas vidas – o alimento da alma!

Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou WhatsApp: (34) 9 9972-4053

 

VEJA, ABAIXO, A MATÉRIA DA JORNALISTA KELLY LOPES, PUBLICADA NA FOLHA UNIVERSAL – ANO 27 – Nº 1406 – DE 24 A 30 DE MARÇO DE 2019 – TIRAGEM: 1.856.375 

CLIQUE AQUI OU NAS IMAGENS PARA LER A MATÉRIA NO SITE DO JORNAL

 

 

PARA VOCÊ MULHER…

 

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Sempre digo que ser mulher é mesmo uma difícil arte… Embora seja adorável demais!

Mas o grande cuidado que toda mulher precisa ter é com o desejo incontrolável de ser perfeita, heroína e de querer agradar a todo mundo.

Para que você não caia nessa armadilha, é bom considerar que:

  • É sintoma de baixa autoestima acatar as cobranças que lhe fazem – “tem que ser linda, magra, bem-humorada, bem-sucedida, melhor esposa, melhor amante, melhor mãe do mundo”.  
  • Procure não se prender aos “tem que…” da vida. Seja aquilo que você quiser ser, não porque você “tem que” ser assim, mas porque você quer e gosta de ser assim.
  • Quando reforça o seu amor próprio e reconhece o seu valor, você se torna mais autoconfiante e resistente às pressões e cobranças externas, você aprende a se posicionar diante da vida.
  • Procure dizer mais “sim” para você, porque as pessoas não valorizam quem não se valoriza. Quando você diz “sim” pra alguém, enquanto seu coração fica implorando pra dizer “não”, você está mentindo para a pessoa mais importante de sua vida: VOCÊ!
  • Pare de querer ser a heroína que carrega o mundo nas costas. Ninguém dá valor nisso e você vai acabar numa posição de vítima, cheia de ressentimentos pela ingratidão dos outros.
  • Fuja do perfeccionismo, mas busque a excelência – seja hoje melhor do que foi ontem, e amanhã melhor do que é hoje – sem neuroses, cobranças, nem medos.
  • Viva cada dia com alegria e simplicidade, fazendo o melhor que puder como mulher, companheira, mãe, profissional, filha, etc…, mas sem se martirizar por não ser perfeita em todos esses papéis.
  • A perfeição ainda não é deste mundo. Então, para que as frustrações não façam parte de sua existência, respeite suas limitações e comemore cada nova conquista.
  • E lembre-se: Ninguém tem o direito de decidir o que é melhor para a sua vida a não ser… VOCÊ MESMA!

 

Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos.

Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou pelo WhatsApp: +55 (34) 99972-4053

 

 

PARE DE RECLAMAR E COMECE A SERVIR

 

(Autoria de Eliana Barbosa)*

 

Vemos, todos os dias, inúmeros casos de pessoas com problemas financeiros ou de desavenças familiares, ou de doenças, e, muitas delas, deparam-se com essas dificuldades com um espírito de revolta e mágoa.

Se você tem agido assim, eis aqui o meu recado amoroso:

Entenda que a força maligna de seus pensamentos negativos atrai para sua vida aquilo que você teme sofrer.

Não agrave sua situação, assumindo o papel de vítima, vivendo em lamentações e comparações invejosas em relação àqueles que conseguem crescer.

A vida ganha sentido quando você começa a vivê-la com intensidade, tanto os momentos bons, quanto os “menos bons”. Estes não são de todo ruins, porque sempre deixam a semente de um benefício.

Enfrente seus problemas com fé e confiança em dias melhores que virão sim, sobretudo se, apesar de toda a sua dor, material ou moral, você souber fazer a sua parte para melhorar o mundo em que vive.

É hora de parar de reclamar e começar a servir.

Essa atitude servidora começa no lar, com o companheirismo e a cooperação nas atividades domésticas, com a compreensão e paciência com os parentes mais complicados e a certeza de que ninguém está ao nosso lado por mero acaso.

Tudo na vida tem uma razão de ser e se você busca a felicidade, comece, o quanto antes, a pensar também nos outros e a compartilhar com eles o que você tem de melhor.

Olhe ao seu redor e observe quantas pessoas em situação financeira deplorável precisam de apoio, não só material, mas também moral. Há sempre alguém ao seu lado carente de atenção e incentivo.

Portanto, dê um basta nas lamentações e desculpas e entre em ação, porque a tão almejada prosperidade é simples consequência na vida de quem se compromete a fazer a diferença, semeando e servindo no bem.

Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos.

Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou pelo WhatsApp: +55 (34) 99972-4053

 

COMO FAZER O AMOR DURAR

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Em minhas palestras para casais e até mesmo em meus atendimentos, um dos temas abordados é sobre como fazer o amor durar.

Então, hoje, eu trouxe algumas dicas para você manter a conexão emocional com seu parceiro ou parceira, garantindo, assim, mais harmonia na vida a dois:

  • Entenda que escolha amorosa madura não é aquela em que você vê no outro aquilo que lhe falta, e o sente como um complemento de si próprio. Por exemplo: Muitas mulheres se casam para fugir da tirania dos pais, outras para serem mães, algumas fugindo da solidão, e com esse descompasso de interesses entre os parceiros, a tendência é de que essas relações não resistam às pressões do dia a dia.
  • As melhores uniões, no campo afetivo, são aquelas em que você, inteiro, encontra outro “inteiro” para compartilhar com você a vida, as alegrias e as naturais tristezas… Sem usar a outra pessoa como muleta ou remédio para suas fraquezas.
  • Só o amor não basta! Sim, ele é fundamental para a sobrevivência de uma relação, mas se não for cultivado com carinhos, mimos, respeito, lealdade e diálogo, o amor pode se transformar em decepções e mágoas.
  • Uma forma incrível de se conectar com seu parceiro, e manter esse vínculo, é a aprovação, através de elogios – palavras amorosas e sinceras que o façam se sentir valorizado e importante. Para o homem, o reconhecimento de uma mulher vale ouro! Por isso, quando não encontra apreciação em casa, acaba descobrindo lá fora… E para nós, mulheres, a mesma coisa!
  • Outra dica: Não abra mão de seus desejos e sonhos para agradar a quem quer que seja. Os homens não valorizam as parceiras que agem como se fossem suas mães – eles aproveitam as vantagens, mas irão se interessar mesmo por aquelas mulheres independentes emocionalmente, que não precisam agradar o tempo todo para se sentir amadas.
  • E, finalizando: Ao estarem juntos, onde for, mantenham o contato visual, mesmo nas conversas mais banais. E, assim, olhos nos olhos, aproveitem para demonstrar carinho, admiração, desejo e amor!

 

(Eliana Barbosa é life coach, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento,  apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra  palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br ou (34) 99972-4053)