Todos os artigos de admin

ILUMINAÇÃO AO ALCANCE DE TODOS

 

 

meu-eu-sol-sou

SERES ILUMINADOS

(Matéria publicada no Jornal DIÁRIO DA REGIÃO, de São José do Rio Preto, no dia 12 de Março de 2006, pelo jornalista Fabiano Ferreira)

Não há guru, manual de autoajuda ou conselho de amigo que torne uma pessoa especial.

Num mundo de padrões, comportamentos copiados e atitudes mecanicamente cronometradas para garantir a imagem, ser autêntico, mostrar a verdadeira essência (e fazer a diferença) é dádiva para poucos. E, felizmente, há pessoas que parecem verdadeiros “seres iluminados”. São aqueles que estão sempre de bem com a vida (mesmo que tenham problemas), sorriem para todos, não se colocam acima do bem ou do mal, e irradiam uma energia inexplicável, que faz com que todos queiram sua presença.

Teríamos mais seres assim à nossa volta não fosse o comportamento doentio que muitos adotam diante dos obstáculos naturais da vida. Quantos seres iluminados há por aí presos em seu egoísmo, seus caprichos e em sua arrogância?

Um dos caminhos seria observar melhor as pessoas à nossa volta, detectar quem são os seres iluminados e aprender com eles. Com certeza o resultado será positivo.

Há muitas explicações para a conduta das “pessoas iluminadas”. Tudo conta: a educação, as experiências, a vontade constante de aprimoramento, a visão humanística do caos em que vivemos, e, principalmente, o grau de espiritualidade.

Não é regra, mas os seres iluminados geralmente são muito ligados à espiritualidade. Parecem ter um conexão com o divino, o que lhes permite passar por cima dos rumores do cotidiano em função de uma ordem maior.

Na linha espiritualista, a médica Marlene Nobre, presidente da Associação Médico-Espírita (AME-Brasil), explica que a personalidade, aquilo que temos de mais característico, pertence à alma. “O alto-astral, o bom humor, a visão positiva daquilo que cerca a pessoa iluminada é conquista do seu espírito imortal ao longo de milênios de evolução. Percorrendo milhares de existências sucessivas, o espírito vai se depurando e cometendo menos erros em relação à Lei de Deus que é, sobretudo, amor”, diz.

Para os espíritas, pessoas positivas são almas que não trazem complexos de culpa de outras vidas e por isso estão em vias de realizar um progresso espiritual maior.

Mesmo quem acredita neste raciocínio não deve esquecer que a aura iluminada pode ser uma conquista. “Todos estamos aqui para desenvolver sentimentos nobres e inteligência superior. Quanto mais ampliarmos o amor a Deus, a fé em seus desígnios, e a caridade em nossos sentimentos e atos, mais alegres e iluminados seremos”, comenta Marlene.

 Identifique os iluminados:

:: Eles irradiam leveza

:: Levam alegria aos diversos ambientes que freqüentam

:: Contagiam as pessoas ao redor, com novas formas de enxergar a vida

:: Estimulam os outros a buscar soluções, evitando só enxergar os problemas

:: São mais criativos, buscam soluções inovadoras

:: Quando há problemas seu foco está em encontrar quais os benefícios que esses problemas trouxeram

:: Acreditam que todos os fatos, sejam bons ou não, trazem aprendizados importantes

:: Não se lamuriam, conseguem perceber que lamentações não levam a lugar nenhum

:: Geralmente são pessoas que torcem pelos outros, que querem vê-los bem

Deixe-se contagiar

É saudável se deixar contagiar pelas pessoas iluminadas. Mais importante ainda é procurar seguir seus bons exemplos.

Para viver na luz é preciso cultivar a humildade. Os iluminados não devem agir pensando em ensinar aos outros, mas sim de modo a serem coerentes consigo no cultivo e na conquista da paz. “Como sabemos, a paz é um caminho árduo que se conquista não somente através do de bons pensamentos e palavras, mas sobretudo por atos bondosos na vida cotidiana”, completa a médica.


 

Ilumine-se com fé, leveza e amor a si e ao próximo

Era uma vez um homem chamado Jesus. Ele possuía um brilho natural. Sua luminosidade era notada em suas palavras, seu jeito de levar a vida de forma leve e também pelo elevado grau de seus pensamentos. Por onde passava era notado e admirado. Seu grande segredo era o amor. Está aí o exemplo de uma pessoa verdadeiramente iluminada, que continua sendo ponto de referência para a humanidade.

Na história, a lista de iluminados é grande: Madre Teresa de Calcutá, Gandhi, Cora Coralina, e tantos outros que, mesmo anônimos, deixaram para trás um rastro de alegria e esperança para o mundo.

No dia-a-dia também encontramos pessoas assim, desde as mais simples àquelas que se dedicam a aprimorar sua luz e repassar aos outros o fruto de suas conquistas morais e espirituais.

Os psicólogos garantem: todos temos condições de nos tornar pessoas melhores e mais úteis para os que estão à nossa volta. Não existem receitas infalíveis. As escolhas são de cada um.

E o comportamento iluminado flui conforme as mudanças de atitudes. Sem elas, não há “santo que faça milagres”.

[APRENDA COMO MUDAR SUAS ATITUDES E, ASSIM, MUDAR O RUMO DE SUA VIDA]

A terapeuta neurolinguística Marcelle Vecchi explica que o cérebro armazena tudo que já nos aconteceu, desde que nascemos até o momento atual, através de imagens. A mente desenha os fatos que estão nos acontecendo, captando os sentimentos e os sons envolvidos. Dependendo da qualidade dessas imagens (positivas ou negativas), o cérebro libera um tipo de sentimento correspondente.

“Por isso é tão importante policiar os pensamentos e palavras. Se estudarmos o que fazem essas pessoas iluminadas notaremos que elas já possuem uma gama de arquivos positivos, por isso irradiam um brilho natural”, diz.

Vamos aos exemplos. A pessoa acorda e pensa: “hoje não estou bem, não vou conseguir fazer o que preciso”. No mesmo instante o cérebro está criando uma imagem de impotência e fraqueza. Naturalmente ele envia a essa pessoa sentimentos que correspondam a esses obstáculos, potencializando seu estado negativo. Ele opera de acordo com as mensagens que enviamos.

“Todos podemos adquirir um brilho natural treinando e policiando nossos pensamentos e palavras. Mas é necessário muita dedicação, pois teremos de formar novos arquivos”, diz a terapeuta.

O começo do treino é mais difícil, pois pensamentos contrários ao bem aparecem com facilidade. Mas quem deseja melhorar sua aura e a imagem diante do outro tem de quebrar o padrão aos poucos, adotando novas maneiras de pensar e agir.


Dicas:

:: Concentre-se em sua capacidade de cuidar de si mesmo

:: Em vez de enfatizar seus problemas, invista em sua capacidade de resolvê-los

:: Recompense seus esforços mesmo que não consiga exatamente o que queira

:: Mude o foco do sofrimento para as lições que ele pode ensinar a você

:: Aprenda a se concentrar no que pode fazer e desista da ideia de que os outros devem fazê-lo por você


Como aprender com a conduta dos ‘iluminados’

As atitudes das pessoas iluminadas são dignas de se tornar lição. Quem tem a oportunidade de conviver com pessoas assim pode começar a prestar mais atenção em seus gestos para então adotar um comportamento mais libertador.

NOITE DE AUTÓGRAFOS - BIENAL - 10-03-06

Antes de autografar seu livro “Acordando para a Vida” (Editora Novo Século), na noite de sexta-feira, na Bienal do Livro, a psicóloga e escritora Eliana Barbosa falou sobre o assunto no Diário.

Leia abaixo trechos da entrevista:

Diário da Região – Por que algumas pessoas parecem ser iluminadas? Ou seja, estão sempre de alto-astral, bom humor.

Eliana Barbosa – Algumas pessoas parecem ser iluminadas porque elas têm em si um carisma e uma energia positiva que as diferenciam das demais pessoas. Independentemente do seu poder posicional (cargos que ocupam na vida profissional), os iluminados têm um poder pessoal muito grande (autoridade moral) e demonstram sua sinceridade, autoconfiança e generosidade pelo brilho de seus olhos. Por todos estes atributos, as pessoas iluminadas se tornam “imãs humanos”, porque todo mundo quer ficar perto de quem pode lhe influenciar para melhor, pode colocar luz sobre as suas dúvidas e questionamentos.

Diário – Esse comportamento pode ser aprendido ou ele nasce com a pessoa? É possível se tornar uma referência assim?

Eliana – Isso depende muito da personalidade e da sua criação. Há pessoas que já nas-cem com um brilho diferente e amoroso no olhar e se tiverem uma educação que lhes prepare para fazer uma diferença positiva no mundo, então serão pessoas iluminadas e atuantes no meio em que vivem. Entretanto, é possível se iluminar ao longo da vida e, neste caso, cabe a cada um fazer a sua escolha. O comportamento “iluminado” se aprende através de modelos, de leituras e muito treinamento de perseverança no bem, além de otimismo (acreditar no melhor) e entusiasmo (fazer o melhor acontecer). Na verdade, a pessoa iluminada é alguém que está sempre na postura de aprendiz da vida, sedento de novas aprendizagens e pronto para ensinar àqueles que quiserem aprender com ele. O iluminado, a meu ver, tem a missão de encaminhar outros seres para a iluminação, entendendo aqui que ser iluminado é assumir que estamos neste mundo para crescer e apoiar a todos em seu crescimento. É bom deixar claro que as pessoas iluminadas também têm seus momentos de tristezas, de fraquezas, mas elas têm uma fé e uma força interior tão grandes que, em pouco tempo, superam os sentimentos negativos e retomam a sua caminhada rumo ao sucesso e à felicidade. As pessoas iluminadas já aprenderam que a vida acontece no presente e procuram, constantemente, se libertar das amarras do passado (ressentimentos e culpas) e, quanto ao futuro, acreditam no melhor, porque, dia-a-dia, fazem um plantio e um cultivo de “sementes” sadias.

Diário – Qual o efeito nas relações em ter uma pessoa dessas por perto? O que aprender com elas?

Eliana – É muito bom conviver com pessoas iluminadas. Elas são mais compreensivas e sinceras, porém é bom deixar claro que elas são muito assertivas, ou seja, só dizem “sim”, quando for “sim” e dizem “não” quando for necessário, sem culpas. E esse exemplo de assertividade é muito importante, porque demonstra que elas possuem uma elevada autoestima e por isso têm tanto brilho nos olhos e na alma.

[APRENDA 3 PASSOS PARA DIZER “NÃO” SEM SE CULPAR POR ISSO]

Há quem chame as pessoas iluminadas de “almas perfumadas”. O interessante é que pessoas iluminadas são boas sem serem “boazinhas” e é por isso que são tão valorizadas.
Outro aspecto importante é que, diferentemente das pessoas revoltadas, as pessoas iluminadas assumem que são senhoras do seu destino, autoras de sua própria história e, com isso, assumem a responsabilidade pelos seus erros e acertos. Podemos também aprender com elas a importância da gratidão e da humildade, porque o encanto que elas criam em torno de si advém justamente da forma como elas são gratas a todos.

Diário – O “iluminado” é invejado? Ele sofre por ser assim?

Eliana – Todos que fazem uma diferença positiva no mundo são invejados. Então, a pessoa iluminada tem muitos inimigos, muitas vezes até disfarçados de amigos, porque o seu brilho perturba quem ainda se compraz em viver na escuridão. Acredito que a pessoa iluminada se aborreça por ser invejada, principalmente quando a inveja vem de seus próprios familiares e amigos, mas, com o entendimento que ela tem da sua própria finalidade de vida, este aborrecimento não chega a se tornar um sofrimento, porque a sua vontade de acertar e colaborar com o mundo é muito maior do que estes sentimentos negativos que a cercam.

Diário – Como pessoas assim podem ajudar outras a adotarem um comportamento positivo diante dos problemas comuns do cotidiano?

Eliana – As pessoas iluminadas entendem que ninguém pode ajudar a ninguém, a não ser a si mesmo – autoajuda, pois ajudar significa fazer pelos outros, o que não é produtivo. Mas apoiar sim… Apoiar é a grande missão de vida das pessoas que se iluminam através da fé, do conhecimento e da sua força interior. As pessoas iluminadas são pessoas comuns que aprenderam a cultivar a essência divina que todos trazemos dentro de nós. Com isso, elas são modelos positivos de comportamento para todos aqueles que buscam se melhorar e que buscam se livrar das crenças limitantes que fizeram parte de sua criação. As pessoas iluminadas exemplificam que, com crenças libertadoras – “Eu consigo”, “Eu posso”, “Tudo está bem em meu mundo”, “Cada dia me sinto melhor e melhor”, é possível, diante das dificuldades do cotidiano encontrar soluções e novas oportunidades de progredir e vencer.

Neste Natal, faça diferente: FAÇA A DIFERENÇA, com PRESENTES que inspiram e transformam!!!

NATAL E LOJA VIRTUAL CLIQUE AQUI PARA VISITAR MINHA LOJA

12 FORMAS DE ENCONTRAR A PAZ DENTRO DE VOCÊ


(Autoria de Eliana Barbosa*)

Uma das maiores necessidades do nosso Planeta é a paz. Você sabe que, neste instante, enquanto você está aí, em um momento de reflexão, muitas pessoas, pelo mundo afora, estão sofrendo e outras tantas morrendo, por causa das guerras, da falta de entendimento e de amor ao próximo.

E é inviável falar de paz mundial sem se referir à paz interior – um requisito primordial para a harmonia no mundo.

O sentimento de paz inicia-se dentro de cada um, passando pelos seus relacionamentos afetivos, sociais e profissionais.

Quando há um desequilíbrio em uma destas áreas, consequentemente o mundo ao re­dor fica com a sua paz comprometida. Basta estudar a biografia dos líderes que instigaram as guerras, em todos os tempos, para você entender­ que a guerra maior era travada dentro deles, além dos conflitos familiares que vivenciaram em sua infância.

Paz interior é aquela sensação agradável de estar com a consciên­cia tranquila, com  seu dever cumprido, em equilíbrio com suas emoções.

Como vi, certo dia, na Internet, “Paz interior é como dormir de conchinha com a própria alma!” 

Eis, aqui, então, 12 formas de encontrar a paz dentro de você:

  1. Aprimore sua autoestima, autoconfiança, autovalorização e valorização da sua vida, das pessoas à sua volta e do seu trabalho;
  2. Coloque a verdade como o leme de sua vida, sendo honesto em todos os seus relacionamentos;
  3. Tenha paciência com as pessoas ou situações difíceis, desenvolvendo atitudes amigáveis em relação aos outros;
  4. Cultive sentimentos de perdão e autoperdão, lembrando-se de que ódios e culpas abrem brechas para que o mal o atinja;
  5. Aprenda a lidar com os ganhos e as perdas, vivendo com os dois pés enraizados no “aqui e agora”;
  6. Seja resiliente, isto é, não se deixe “quebrar” por qualquer “tem­pestade” que assole seu viver;
  7. Tenha o controle das preocupações, pois dificuldades que são en­frentadas com crenças libertadoras (esperança, fé, confiança), ao invés de se tornarem problemas, transformam-se em novas oportunidades e soluções criativas;
  8. Desenvolva pensamentos prósperos, acreditando na abundância da vida e no melhor para todos;
  9. Fortaleça seus sentimentos de gratidão, porque quanto mais você agradece, mais a Vida lhe retribui com harmonia e sucesso;
  10. Cultive a religiosidade, seja em que religião você preferir, sentindo no fundo d’alma que uma Força Superior vibra pelo seu bem e espera de você atitudes sábias e generosas;
  11. Preserve o bom-humor, mesmo nas situações mais embaraço­sas, porque não há mal que resista a um sorriso sincero ou a pen­samentos positivos;
  12. E, finalizando,  medite, visite a natureza e, diariamente, fale com Deus!

Estas são apenas algumas das características de quem possui índole pacífica ou de quem busca sua tranquilidade interior.

Como você vê, não é tão difícil assim; basta escolher o caminho do amor verdadeiro, sem cobranças e condições, porque a paz só é possível quando o amor está presente!

Pense nisso com carinho!!!

(*Eliana Barbosa é coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento e apresentadora em TV e rádio)

 

BANNER PARA HOME

 

 

COMPLEXO: SENTIMENTO DESTRUTIVO

baixa-autoestima-cuidado-com-ela-71-315

(Autoria de Eliana Barbosa)*

O tipo de sentimento que mais atrapalha o crescimento pessoal e profissional é o complexo.

Não bastasse fazer verdadeiro terror na vida da pessoa que o transporta consigo, o complexo assume uma série de variações, tais como: complexo de inferioridade, complexo em relação ao tamanho e ao peso corporal, em relação às capacidades intelectuais e outros sentimentos negativos, como abandono, perseguição, culpa e outros.

Os complexos são típicos de pessoas que não se aceitam e não aceitam a vida que levam.

São revoltadas causadas por “n” motivos: gordura, falta de curvas, pobreza, falta de oportunidade para estudar, desemprego, etc.

A pessoa não aprende a se apreciar como é, a se respeitar com as suas qualidades e naturais limitações.

Os complexados são indivíduos muito negativos que vivem da comparação com as demais pessoas.

E a dor do complexo costuma incomodar muito, fazendo com que a pessoa se afaste dos amigos e se isole da sociedade, pouco a pouco.

O mais lamentável é que a maioria dos complexos que conhecemos, são infundados, geralmente criações da mente da própria pessoa, que tem a autoimagem distorcida, destruída talvez pela falta de aprovação durante o seu crescimento.

Ouviu tantas críticas e desaprovações durante a infância e a adolescência, que se tornou um indivíduo pessimista e negativo em relação a si mesmo, e o pior: aos outros também.

Não percebe que o encanto de cada ser humano está sempre nas suas diferenças, naquilo que ele mostra de especial e não nas padronizações que são pregadas pelas propagandas – corpo magro, pele jovem e sem rugas, etc.

Os complexos, especialmente os ligados à aparência física são extremamente prejudiciais nos relacionamentos afetivos, de modo que a pessoa não se abre para o amor e para os carinhos quando está se sentindo inferior ou feia diante do seu parceiro.

E somente um trabalho sério de resgate da autoconfiança e do seu amor-próprio poderá reverter esta situação.

O fato é que o verdadeiro amor só acontece para quem se ama verdadeiramente.

Esse tipo de complexo em relação ao corpo, muitas vezes é tão atuante na vida da pessoa, que se torna uma obsessão, uma doença, que hoje é conhecida por “dismorfofobia”, ou seja, medo de uma própria deformidade imaginária.

Casos muito sérios são relatados, principalmente sobre jovens meninas acometidas por Anorexia e Bulimia – transtornos alimentares ligados às distorções da autoimagem. Olham-se no espelho e se enxergam sempre acima do peso real que elas têm…

Alem do mais, é preciso considerar também os complexos que as pessoas carregam ao longo da vida e transferem, de forma inconsciente, para os seus filhos, na forma de frustrações, irritabilidade, culpas sem fundamento.

As crianças, com tais exemplos no lar, crescem inseguras do seu valor e aprendem a viver sempre na base da comparação, o que pode se tornar um enorme problema, quando chegam à adolescência.

Muitos adolescentes, para não se sentirem excluídos da turma, e para esconderem os seus complexos, alguns aprendidos com seus pais, não conseguem dizer “não” às más companhias, às drogas e aos demais vícios, numa busca constante de aprovação.

Por tudo isso… Guarde bem: Dar espaço para os complexos é abrir portas para as comparações que destroem a sua autoimagem.

Quando você não compara, toda a inferioridade e superioridade desaparecem e aí, você descobre a importância de ser… VOCÊ MESMO!

Pense nisso com carinho!!!

E saiba que estou aqui pra te apoiar no fortalecimento de sua autoestima e autoconfiança… Por isso, conheça o PROJETO VOCÊ MELHOR EM 30 DIAS (para MULHERES), e veja se este é um treinamento pra você: CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS! 

BANNER PARA OS BLOGS

 

(*) Eliana Barbosa é coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio

AS SEQUELAS DO PRECONCEITO

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Para mim, um dos piores defeitos na forma de pensar e agir de algumas pessoas é o preconceito. Vejo este sentimento cruel como um atraso espiritual, porque, dia após a dia, a vida nos mostra o quanto somos semelhantes e irmãos – filhos de um mesmo Pai.

O preconceito – racial, social, religioso, ou outro qualquer – só pode fazer parte da vida de quem ainda não se abriu para o amor e o compartilhamento.

E, o mais triste de tudo isso é que todos vivemos regidos por Leis Universais infalíveis, e uma das mais importantes leis está sempre a nos demonstrar que sempre colheremos aquilo que plantarmos.

Se alguém está construindo muralhas em seus relacionamentos por causa do preconceito, não pode reclamar mais tarde por se encontrar solitário e esquecido por aqueles que presenciaram seus exemplos egoístas e orgulhosos.

Na verdade, as sequelas do preconceito são muito mais devastadoras para o preconceituoso do que para aquele que é alvo de preconceito.

Fico me perguntando: Como pode alguém se achar melhor do que o outro porque tem uma cor, aparência, opção sexual ou religião diferente? Como saber quem é melhor do que quem?

Para mim, só há uma forma de vermos quem realmente é uma pessoa melhor: pelas suas atitudes e, se suas atitudes são de arrogância em relação aos outros, então, claramente está demonstrando que não tem valor algum diante do outros. O orgulho é uma das maiores chagas da Humanidade, cegando o orgulhoso diante das oportunidades de ser generoso e, consequentemente, feliz.

E se você é alguém que tem sofrido com o preconceito dos outros, fica aqui o meu recado:

  • Saia já dessa posição de vítima e jamais se sinta inferior a ninguém, porque você é muito especial!
  • Você é um filho de Deus, tem a Essência Divina dentro de você (assim como quem lhe humilha também tem) , e com essa Força Interior, busque compreender o atraso espiritual dos preconceituosos (que ainda não descobriram sua Divina Essência), perdoando-os do fundo de seu coração.
  • Sinta-se merecedor só de energias positivas e, assim, ao lhe rejeitarem por qualquer preconceito que seja, não permita que o sentimento de inferioridade lhe domine.
  • Este é o seu grande poder: Escolher como vai reagir diante das maldades do mundo. Eu sugiro que você escolha perdoar, porque como disse Dr. Inácio Ferreira (1904-1988), inesquecível psiquiatra uberabense, “Quem não perdoa não tem um coração no meio do peito e sim, uma lata de lixo!”
  • Guarde bem: você não merece viver carregando o lixo do mundo. Liberte-se e seja feliz!

Finalizo esta reflexão com uma interessante história que dizem ter acontecido num voo da British Airways entre Johanesburgo e Londres, no tempo do apartheid na África do Sul:

Uma senhora branca de uns 50 anos procura o número de seu assento e descobre que deverá sentar-se ao lado de um homem negro. Visivelmente perturbada, ela chama a aeromoça, solicitando outro assento porque não quer se sentar ao lado de um negro.

A aeromoça, depois de muita insistência da passageira, diz que vai verificar o que pode fazer. Alguns minutos depois, ela retorna e diz: – Minha senhora, como eu suspeitava, não há nenhum lugar vago na classe econômica. Eu conversei com o comandante e ele me confirmou que não há mais lugar na executiva. Entretanto, ainda temos um assento na primeira classe… É totalmente inusitado a nossa companhia conceder um assento de primeira classe a alguém da classe econômica, mas, dadas as circunstâncias, o comandante considerou que seria escandaloso alguém ser obrigado a sentar-se ao lado de pessoa tão execrável.

E, então, dirigindo-se ao homem negro, a aeromoça complementa: – Portanto, senhor, se for de sua vontade, pegue seus pertences que o assento da primeira classe está à sua espera.

E todos os passageiros ao redor levantaram-se e bateram palmas para a atitude da aeromoça.

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos, apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

BANNER PARA CAPTURA

VOCÊ “PONTUA” SUA VIDA

escrever-diario-melhora-saude-bem-estar

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Inicio o tema desta semana com um singelo – porém marcante – conto de autor desconhecido:

Um homem rico estava muito doente. Pediu papel e pena e escreveu assim: ‘Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres’.

Esqueceu de fazer a pontuação da frase e morreu deixando com ela uma grande pergunta sem resposta: A quem ele deixava a sua fortuna?

Eram quatro concorrentes: O sobrinho, a irmã, o alfaiate e os pobres.

O sobrinho fez uma cópia e colocou a seguinte pontuação: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

A irmã chegou em seguida. A pontuação dela foi assim: ‘Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

O alfaiate pediu a cópia do original e pontuou segundo os seus interesses: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

Então, chegaram os pobres da cidade. Um deles, muito esperto, fez esta interpretação: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres.

Apesar de não concordar com a desonestidade dos personagens dessa estória, gosto de usá-la como exemplo, porque todos nós recebemos de Deus a oportunidade da vida, mas a forma como ela será vivida, só nós podemos definir, só nós podemos colocar os pontos certos nos locais adequados.

Embora seja muito cômodo colocar a responsabilidade de nossas escolhas nas mãos dos outros, isso é apenas uma perda de tempo, porque, mais dia, menos dia, responderemos por todos os caminhos que tomamos na vida.

Então, a partir de hoje,  pare de culpar seus pais, companheiros ou filhos por sua infelicidade ou fracassos, porque tudo o que você vivencia vem carregado de preciosas lições para o seu crescimento e somente você pode escolher que tipo de interpretação vai dar a cada fato acontecido…

Você pode escolher remoer o ressentimento e, com isso, criar doenças sérias em seu corpo e miséria material, ou, por outro lado, você pode escolher perdoar, libertar as negatividades do passado, aprender as lições que ficaram e seguir a vida, com saúde e prosperidade.

Por isso, pare de dar permissão aos outros para pontuarem a sua vida. É a sua vida, são as suas emoções!

E, mais uma vez, lembre-se: “Não importa o que fizeram com você, o que realmente importa é o que você fez com o que fizeram com você!”

Pense nisso!

(*Coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio) 

 

BANNER PARA HOME

NINGUÉM É DONO DE NINGUÉM!

 

 

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Você já percebeu o quanto o apego às pessoas pode estar causando conflitos nos seus relacionamentos?

Isso acontece porque o apego, sob o disfarce de amor excessivo, é uma demonstração de insegurança ou de medo da solidão.

Então, como sei que você está em busca da felicidade e de uma vida mais serena, eis aqui algumas reflexões para você entender porque é importante amar sem apego:

•    Ninguém é dono de ninguém, a não ser de si próprio. Amigos vêm e vão, assim como qualquer romance pode acabar. Nenhum relacionamento tem garantia de eternidade, a não ser o seu consigo mesmo.
•    Trate-se com absoluto carinho e respeito porque a única pessoa que você tem certeza que sempre estará com você até o seu último suspiro nesta vida é VOCÊ!
•    Quanto mais você tenta controlar a vida de outra pessoa, mais ela escapa de seu controle.
•    Não há nada mais degradante do que apegar-se a pessoas que não lhe querem bem ou lhe machucam a alma. Isso é baixa autoestima e tem cura! 
•     Não adianta ficar segurando o amor dos outros, porque amor não se compra e não se prende, amor se conquista e se cultiva.   Como? Sem pressão, nem cobranças e sim, com companheirismo, amizade, confiança.
•    Você pratica o desapego quando você aprende a voltar seus olhos e seu coração para a pessoa mais especial da sua vida: VOCÊ!

Dessa forma, amigo leitor, liberte-se dessa prisão emocional chamada apego, e permita-se viver intensamente o presente.

Deixe o tempo correr e abra-se para novas e maravilhosas experiências.

E lembre-se que, independente da sua vontade, a vida é feita de ganhos e perdas. Se tiver que perder, aceite suas perdas e apegue-se somente a algo que ninguém pode tirar de você: a lição!

Pense nisso com carinho!!!

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos,  apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

receber newsletter 3