Todos os artigos de admin

12 FORMAS DE ENCONTRAR A PAZ DENTRO DE VOCÊ


(Autoria de Eliana Barbosa*)

Uma das maiores necessidades do nosso Planeta é a paz. Você sabe que, neste instante, enquanto você está aí, em um momento de reflexão, muitas pessoas, pelo mundo afora, estão sofrendo e outras tantas morrendo, por causa das guerras, da falta de entendimento e de amor ao próximo.

E é inviável falar de paz mundial sem se referir à paz interior – um requisito primordial para a harmonia no mundo.

O sentimento de paz inicia-se dentro de cada um, passando pelos seus relacionamentos afetivos, sociais e profissionais.

Quando há um desequilíbrio em uma destas áreas, consequentemente o mundo ao re­dor fica com a sua paz comprometida. Basta estudar a biografia dos líderes que instigaram as guerras, em todos os tempos, para você entender­ que a guerra maior era travada dentro deles, além dos conflitos familiares que vivenciaram em sua infância.

Paz interior é aquela sensação agradável de estar com a consciên­cia tranquila, com  seu dever cumprido, em equilíbrio com suas emoções.

Como vi, certo dia, na Internet, “Paz interior é como dormir de conchinha com a própria alma!” 

Eis, aqui, então, 12 formas de encontrar a paz dentro de você:

  1. Aprimore sua autoestima, autoconfiança, autovalorização e valorização da sua vida, das pessoas à sua volta e do seu trabalho;
  2. Coloque a verdade como o leme de sua vida, sendo honesto em todos os seus relacionamentos;
  3. Tenha paciência com as pessoas ou situações difíceis, desenvolvendo atitudes amigáveis em relação aos outros;
  4. Cultive sentimentos de perdão e autoperdão, lembrando-se de que ódios e culpas abrem brechas para que o mal o atinja;
  5. Aprenda a lidar com os ganhos e as perdas, vivendo com os dois pés enraizados no “aqui e agora”;
  6. Seja resiliente, isto é, não se deixe “quebrar” por qualquer “tem­pestade” que assole seu viver;
  7. Tenha o controle das preocupações, pois dificuldades que são en­frentadas com crenças libertadoras (esperança, fé, confiança), ao invés de se tornarem problemas, transformam-se em novas oportunidades e soluções criativas;
  8. Desenvolva pensamentos prósperos, acreditando na abundância da vida e no melhor para todos;
  9. Fortaleça seus sentimentos de gratidão, porque quanto mais você agradece, mais a Vida lhe retribui com harmonia e sucesso;
  10. Cultive a religiosidade, seja em que religião você preferir, sentindo no fundo d’alma que uma Força Superior vibra pelo seu bem e espera de você atitudes sábias e generosas;
  11. Preserve o bom-humor, mesmo nas situações mais embaraço­sas, porque não há mal que resista a um sorriso sincero ou a pen­samentos positivos;
  12. E, finalizando,  medite, visite a natureza e, diariamente, fale com Deus!

Estas são apenas algumas das características de quem possui índole pacífica ou de quem busca sua tranquilidade interior.

Como você vê, não é tão difícil assim; basta escolher o caminho do amor verdadeiro, sem cobranças e condições, porque a paz só é possível quando o amor está presente!

Pense nisso com carinho!!!

(*Eliana Barbosa é coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento e apresentadora em TV e rádio)

 

BANNER PARA HOME

 

 

COMPLEXO: SENTIMENTO DESTRUTIVO

baixa-autoestima-cuidado-com-ela-71-315

(Autoria de Eliana Barbosa)*

O tipo de sentimento que mais atrapalha o crescimento pessoal e profissional é o complexo.

Não bastasse fazer verdadeiro terror na vida da pessoa que o transporta consigo, o complexo assume uma série de variações, tais como: complexo de inferioridade, complexo em relação ao tamanho e ao peso corporal, em relação às capacidades intelectuais e outros sentimentos negativos, como abandono, perseguição, culpa e outros.

Os complexos são típicos de pessoas que não se aceitam e não aceitam a vida que levam.

São revoltadas causadas por “n” motivos: gordura, falta de curvas, pobreza, falta de oportunidade para estudar, desemprego, etc.

A pessoa não aprende a se apreciar como é, a se respeitar com as suas qualidades e naturais limitações.

Os complexados são indivíduos muito negativos que vivem da comparação com as demais pessoas.

E a dor do complexo costuma incomodar muito, fazendo com que a pessoa se afaste dos amigos e se isole da sociedade, pouco a pouco.

O mais lamentável é que a maioria dos complexos que conhecemos, são infundados, geralmente criações da mente da própria pessoa, que tem a autoimagem distorcida, destruída talvez pela falta de aprovação durante o seu crescimento.

Ouviu tantas críticas e desaprovações durante a infância e a adolescência, que se tornou um indivíduo pessimista e negativo em relação a si mesmo, e o pior: aos outros também.

Não percebe que o encanto de cada ser humano está sempre nas suas diferenças, naquilo que ele mostra de especial e não nas padronizações que são pregadas pelas propagandas – corpo magro, pele jovem e sem rugas, etc.

Os complexos, especialmente os ligados à aparência física são extremamente prejudiciais nos relacionamentos afetivos, de modo que a pessoa não se abre para o amor e para os carinhos quando está se sentindo inferior ou feia diante do seu parceiro.

E somente um trabalho sério de resgate da autoconfiança e do seu amor-próprio poderá reverter esta situação.

O fato é que o verdadeiro amor só acontece para quem se ama verdadeiramente.

Esse tipo de complexo em relação ao corpo, muitas vezes é tão atuante na vida da pessoa, que se torna uma obsessão, uma doença, que hoje é conhecida por “dismorfofobia”, ou seja, medo de uma própria deformidade imaginária.

Casos muito sérios são relatados, principalmente sobre jovens meninas acometidas por Anorexia e Bulimia – transtornos alimentares ligados às distorções da autoimagem. Olham-se no espelho e se enxergam sempre acima do peso real que elas têm…

Alem do mais, é preciso considerar também os complexos que as pessoas carregam ao longo da vida e transferem, de forma inconsciente, para os seus filhos, na forma de frustrações, irritabilidade, culpas sem fundamento.

As crianças, com tais exemplos no lar, crescem inseguras do seu valor e aprendem a viver sempre na base da comparação, o que pode se tornar um enorme problema, quando chegam à adolescência.

Muitos adolescentes, para não se sentirem excluídos da turma, e para esconderem os seus complexos, alguns aprendidos com seus pais, não conseguem dizer “não” às más companhias, às drogas e aos demais vícios, numa busca constante de aprovação.

Por tudo isso… Guarde bem: Dar espaço para os complexos é abrir portas para as comparações que destroem a sua autoimagem.

Quando você não compara, toda a inferioridade e superioridade desaparecem e aí, você descobre a importância de ser… VOCÊ MESMO!

Pense nisso com carinho!!!

E saiba que estou aqui pra te apoiar no fortalecimento de sua autoestima e autoconfiança… Por isso, conheça o PROJETO VOCÊ MELHOR EM 30 DIAS (para MULHERES), e veja se este é um treinamento pra você: CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS! 

BANNER PARA OS BLOGS

 

(*) Eliana Barbosa é coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio

AS SEQUELAS DO PRECONCEITO

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Para mim, um dos piores defeitos na forma de pensar e agir de algumas pessoas é o preconceito. Vejo este sentimento cruel como um atraso espiritual, porque, dia após a dia, a vida nos mostra o quanto somos semelhantes e irmãos – filhos de um mesmo Pai.

O preconceito – racial, social, religioso, ou outro qualquer – só pode fazer parte da vida de quem ainda não se abriu para o amor e o compartilhamento.

E, o mais triste de tudo isso é que todos vivemos regidos por Leis Universais infalíveis, e uma das mais importantes leis está sempre a nos demonstrar que sempre colheremos aquilo que plantarmos.

Se alguém está construindo muralhas em seus relacionamentos por causa do preconceito, não pode reclamar mais tarde por se encontrar solitário e esquecido por aqueles que presenciaram seus exemplos egoístas e orgulhosos.

Na verdade, as sequelas do preconceito são muito mais devastadoras para o preconceituoso do que para aquele que é alvo de preconceito.

Fico me perguntando: Como pode alguém se achar melhor do que o outro porque tem uma cor, aparência, opção sexual ou religião diferente? Como saber quem é melhor do que quem?

Para mim, só há uma forma de vermos quem realmente é uma pessoa melhor: pelas suas atitudes e, se suas atitudes são de arrogância em relação aos outros, então, claramente está demonstrando que não tem valor algum diante do outros. O orgulho é uma das maiores chagas da Humanidade, cegando o orgulhoso diante das oportunidades de ser generoso e, consequentemente, feliz.

E se você é alguém que tem sofrido com o preconceito dos outros, fica aqui o meu recado:

  • Saia já dessa posição de vítima e jamais se sinta inferior a ninguém, porque você é muito especial!
  • Você é um filho de Deus, tem a Essência Divina dentro de você (assim como quem lhe humilha também tem) , e com essa Força Interior, busque compreender o atraso espiritual dos preconceituosos (que ainda não descobriram sua Divina Essência), perdoando-os do fundo de seu coração.
  • Sinta-se merecedor só de energias positivas e, assim, ao lhe rejeitarem por qualquer preconceito que seja, não permita que o sentimento de inferioridade lhe domine.
  • Este é o seu grande poder: Escolher como vai reagir diante das maldades do mundo. Eu sugiro que você escolha perdoar, porque como disse Dr. Inácio Ferreira (1904-1988), inesquecível psiquiatra uberabense, “Quem não perdoa não tem um coração no meio do peito e sim, uma lata de lixo!”
  • Guarde bem: você não merece viver carregando o lixo do mundo. Liberte-se e seja feliz!

Finalizo esta reflexão com uma interessante história que dizem ter acontecido num voo da British Airways entre Johanesburgo e Londres, no tempo do apartheid na África do Sul:

Uma senhora branca de uns 50 anos procura o número de seu assento e descobre que deverá sentar-se ao lado de um homem negro. Visivelmente perturbada, ela chama a aeromoça, solicitando outro assento porque não quer se sentar ao lado de um negro.

A aeromoça, depois de muita insistência da passageira, diz que vai verificar o que pode fazer. Alguns minutos depois, ela retorna e diz: – Minha senhora, como eu suspeitava, não há nenhum lugar vago na classe econômica. Eu conversei com o comandante e ele me confirmou que não há mais lugar na executiva. Entretanto, ainda temos um assento na primeira classe… É totalmente inusitado a nossa companhia conceder um assento de primeira classe a alguém da classe econômica, mas, dadas as circunstâncias, o comandante considerou que seria escandaloso alguém ser obrigado a sentar-se ao lado de pessoa tão execrável.

E, então, dirigindo-se ao homem negro, a aeromoça complementa: – Portanto, senhor, se for de sua vontade, pegue seus pertences que o assento da primeira classe está à sua espera.

E todos os passageiros ao redor levantaram-se e bateram palmas para a atitude da aeromoça.

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos, apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

BANNER PARA CAPTURA

VOCÊ “PONTUA” SUA VIDA

escrever-diario-melhora-saude-bem-estar

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Inicio o tema desta semana com um singelo – porém marcante – conto de autor desconhecido:

Um homem rico estava muito doente. Pediu papel e pena e escreveu assim: ‘Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres’.

Esqueceu de fazer a pontuação da frase e morreu deixando com ela uma grande pergunta sem resposta: A quem ele deixava a sua fortuna?

Eram quatro concorrentes: O sobrinho, a irmã, o alfaiate e os pobres.

O sobrinho fez uma cópia e colocou a seguinte pontuação: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

A irmã chegou em seguida. A pontuação dela foi assim: ‘Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

O alfaiate pediu a cópia do original e pontuou segundo os seus interesses: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres’.

Então, chegaram os pobres da cidade. Um deles, muito esperto, fez esta interpretação: ‘Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres.

Apesar de não concordar com a desonestidade dos personagens dessa estória, gosto de usá-la como exemplo, porque todos nós recebemos de Deus a oportunidade da vida, mas a forma como ela será vivida, só nós podemos definir, só nós podemos colocar os pontos certos nos locais adequados.

Embora seja muito cômodo colocar a responsabilidade de nossas escolhas nas mãos dos outros, isso é apenas uma perda de tempo, porque, mais dia, menos dia, responderemos por todos os caminhos que tomamos na vida.

Então, a partir de hoje,  pare de culpar seus pais, companheiros ou filhos por sua infelicidade ou fracassos, porque tudo o que você vivencia vem carregado de preciosas lições para o seu crescimento e somente você pode escolher que tipo de interpretação vai dar a cada fato acontecido…

Você pode escolher remoer o ressentimento e, com isso, criar doenças sérias em seu corpo e miséria material, ou, por outro lado, você pode escolher perdoar, libertar as negatividades do passado, aprender as lições que ficaram e seguir a vida, com saúde e prosperidade.

Por isso, pare de dar permissão aos outros para pontuarem a sua vida. É a sua vida, são as suas emoções!

E, mais uma vez, lembre-se: “Não importa o que fizeram com você, o que realmente importa é o que você fez com o que fizeram com você!”

Pense nisso!

(*Coach de relacionamentos, psicoterapeuta, escritora e palestrante no campo do autodesenvolvimento, e apresentadora em TV e rádio) 

 

BANNER PARA HOME

NINGUÉM É DONO DE NINGUÉM!

 

 

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Você já percebeu o quanto o apego às pessoas pode estar causando conflitos nos seus relacionamentos?

Isso acontece porque o apego, sob o disfarce de amor excessivo, é uma demonstração de insegurança ou de medo da solidão.

Então, como sei que você está em busca da felicidade e de uma vida mais serena, eis aqui algumas reflexões para você entender porque é importante amar sem apego:

•    Ninguém é dono de ninguém, a não ser de si próprio. Amigos vêm e vão, assim como qualquer romance pode acabar. Nenhum relacionamento tem garantia de eternidade, a não ser o seu consigo mesmo.
•    Trate-se com absoluto carinho e respeito porque a única pessoa que você tem certeza que sempre estará com você até o seu último suspiro nesta vida é VOCÊ!
•    Quanto mais você tenta controlar a vida de outra pessoa, mais ela escapa de seu controle.
•    Não há nada mais degradante do que apegar-se a pessoas que não lhe querem bem ou lhe machucam a alma. Isso é baixa autoestima e tem cura! 
•     Não adianta ficar segurando o amor dos outros, porque amor não se compra e não se prende, amor se conquista e se cultiva.   Como? Sem pressão, nem cobranças e sim, com companheirismo, amizade, confiança.
•    Você pratica o desapego quando você aprende a voltar seus olhos e seu coração para a pessoa mais especial da sua vida: VOCÊ!

Dessa forma, amigo leitor, liberte-se dessa prisão emocional chamada apego, e permita-se viver intensamente o presente.

Deixe o tempo correr e abra-se para novas e maravilhosas experiências.

E lembre-se que, independente da sua vontade, a vida é feita de ganhos e perdas. Se tiver que perder, aceite suas perdas e apegue-se somente a algo que ninguém pode tirar de você: a lição!

Pense nisso com carinho!!!

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos,  apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

receber newsletter 3