Todos os artigos de admin

UM BALANÇO DO ANO QUE PASSOU

new-year-coming-concept-inscription-beach-sand-wave-covering-digits-82939139

(Autoria de Eliana Barbosa*)

2017 está chegando ao fim e já bate à nossa porta um novo ano… 

Para mim esse é um motivo de muita alegria,  pois vejo com bons olhos esse ciclo de doze meses, chamado de “ano”, que deixa implícito que tudo passa, mas que sempre podemos virar a página e recomeçar e com muito mais qualidade, se quisermos.

A minha proposta é que antes do ano terminar você faça um balanço sobre o seu 2017.

Para isso, é preciso que você responda algumas perguntas:

Como você tem administrado sua própria vida? Você tem se responsabilizado pelas suas escolhas e não dado ouvido aos apelos negativos?

– Durante este ano, você acreditou nos seus sonhos ou acreditou mais nos sonhos dos outros?

– Você é uma pessoa otimista ou pessimista? A otimista está cheia de gratidão por tudo o que conquistou, valorizando cada pequeno detalhe; e a pessimista, ao contrário, está resmungando, dizendo que este ano foi horrível e supervalorizando cada dissabor que passou.

Feitas as perguntas e encontradas as respostas, é preciso agir!!!

O primeiro passo é tentar zerar o seu estoque de ressentimentos. O perdão, antes de tudo, é um ato de amor próprio, que vai lhe proporcionar saúde e prosperidade.

O segundo grande passo é AGRADECER!!!

Para isso, a minha sugestão é: No dia 31 de dezembro, faça uma lista, anotando, aleatoriamente, todas as lembranças boas de 2017, todos aqueles acontecimentos que lhe trouxeram alegrias, mesmo que por instantes.

Enumere-os e, ao final, releia tudo e veja o quanto você é abençoado, afortunado e feliz!!!

Depois, olhe-se no espelho, sorria para você e dê em si mesmo um enorme abraço, parabenizando-se por todas as conquistas do ano que passou.

Agora, com o coração mais leve –  livre de qualquer sentimento ruim e pleno de gratidão -, trace suas metas.

Pegue outro papel e caneta, e vá para um lugar tranquilo.

Pense na sua vida e em tudo o que gostaria de realizar em 2018, em todas as áreas – saúde, relacionamentos, vida espiritual, profissional, finanças e lazer.

Nesse momento é preciso ser bem específico, defina datas, local e, ao escrever, visualize-se realizando as metas.

O grande segredo é, para cada meta, agradecer por antecipação. Por exemplo: “Sou feliz e grata porque terminei a reforma da minha casa até o dia 30 de junho de 2018!” 

Não se preocupe com o “como vou conseguir?”, porque o importante é você saber o que você quer conseguir.

A partir de sua determinação em querer algo e de sua disciplina em ler diariamente suas metas, você mesmo mudará seu foco e, aos poucos, começará a perceber oportunidades até naquilo que você, antes, via como dificuldades.

Para facilitar, cole esse papel com suas metas em uma parede ou espelho e leia-as, em voz alta, pelo menos duas vezes ao dia e confie!

Sabe por quê? Porque o Universo adora apoiar quem sabe o que quer!

Desejo a você, em 2018, coragem para encerrar ciclos, virar a página, e escrever um novo capítulo de sua história com alegria no coração, relacionamentos felizes e, consequentemente, muito sucesso em todos os seus projetos!

Se você quiser, você vai conseguir! 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta e life coach,  apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento. Contato: eliana@elianabarbosa.com.br )

ATENDIMENTOS 2

A FRAGILIDADE DA VIDA

 

fragilidade-da-vida

(Autoria de Eliana Barbosa)*

Diante das tragédias coletivas e individuais que o mundo tem presenciado ou vivenciado, quero compartilhar com você, amigo leitor, algumas reflexões sobre a fragilidade da vida e a importância da união familiar nos momentos de dor.

É muito triste falar sobre a morte, mas ela é a única certeza que todos nós temos quando nascemos. E por ser tão certa assim, acredito que ela – a morte – deveria ser mais respeitada, no sentido da valorização de nossas vidas e da vida daqueles que amamos.

Você já percebeu quantos momentos felizes acontecem e você não os reconhece?

Infelizmente, ainda é natural em muitas pessoas só observarem as dores, infelicidades e decepções – quando tudo está bem, vão apenas levando a vida, ao invés de colocarem a gratidão e a união familiar em evidência.

E aí, muitas vezes, quando menos esperam, podem ser acordadas para a vida de uma forma chocante, em que a morte rouba-lhes os corações próximos, sem tempo, ao menos, de dizer adeus.

Por isso, diante da fragilidade da vida, jamais despreze uma oportunidade de se aproximar mais das pessoas que lhe são caras, de pedir perdão ou de deixar os melindres de lado e perdoar.

Sabendo das incertezas do viver, a consciência tranquila é um poderoso consolo para a triste e implacável realidade da morte.

E se a morte só passou perto, mas deu a você uma chance de ver a vida com outros olhos, acompanhe essa história que a Revista Seleções do Reader´s Digest de abril de 2000 conta sobre o ator Christopher Reeve (1952-2004), mais conhecido como o Super Homem:

Em maio de 1995, ele participava de uma competição hípica e sofreu uma queda, quebrando as duas vértebras cervicais superiores, o que o deixou tetraplégico.

Quando o médico lhe disse que deveria passar por uma delicada cirurgia e que talvez não sobrevivesse, ele chegou a pensar em morrer, pois achava que, assim, pouparia aos outros um monte de problemas.

Sua vida se tornou difícil. Quando estava sozinho, deitado, olhando para as paredes, sentia-se muito triste. Imóvel, conseguia adormecer e sonhava que estava de novo cavalgando, representando.

Certo dia, sua esposa, Dana, com quem se casara há três anos, entrou no quarto do hospital e lhe falou: ‘Quero que você saiba que estarei com você até o fim, não importa o que aconteça. Você ainda é você e eu o amo.’

Dias depois, seu filho de três anos também lhe trouxe novas esperanças. Mesmo sabendo que o pai, agora, não mexia mais os braços e não podia mais correr, disse, alegremente: ‘Mas papai ainda pode sorrir.’

Reeve criou uma Fundação com o objetivo de melhorar a condição de vida de pessoas vítimas de algum tipo de paralisia e passou o resto de sua vida lutando por pesquisas com células-tronco. Mesmo totalmente limitado fisicamente, ele conseguiu fazer a diferença!

Por isso, enquanto ainda é tempo, acorde para a vida, sorria, ame e seja muito feliz!

(*Eliana Barbosa é apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

Clique para saber sobre meus ATENDIMENTOS

A SOLIDÃO DOS BONZINHOS

 

mulher-solidao-contagiante-436

                                                                                        (Texto extraído do livro CARA A CARA COM ALGUÉM MUITO ESPECIAL:VOCÊ!, de Eliana Barbosa – Gravado na Rádio Sete Colinas, em Uberaba – MG, e parte integrante do CD “Palavras para o seu Bem Viver”)    

Sarah representa tudo de bondade que uma pessoa possa ter… Só que ela sempre foi “boazinha” demais para os outros e, nesse processo, esqueceu-se de si mesma….

CLIQUE ABAIXO para OUVIR O ÁUDIO e DESCOBRIR o que aconteceu com Sarah, que se abandonou para se sentir aceita e amada pelos outros… Será que você é assim também???

 

 Pense bem: Chegou a hora de dar um BASTA a este estilo masoquista de ser e mudar sua própria vida!!!

ATENDIMENTOS 2

FILHOS INGRATOS

 

ter-um-filho-ingrato-e-mais-doloroso-do-que-a-mordida-de-uma-s-a

(Autoria de Eliana Barbosa*)

Um dos maiores desafios na vida em família, a meu ver, está na convivência entre pais e filhos. Assim como temos visto em várias novelas da TV brasileira, a vida real, infelizmente, também nos mostra algumas mães e pais totalmente decepcionados com filhos ingratos e alguns até cruéis.

Então, como você – pai ou mãe – deve agir diante dessa situação?
  • Em primeiro lugar, entenda que seu filho vê em você a imagem que você mesmo vê e transmite para o mundo – a de uma pessoa que não se valoriza e faz tudo pelos outros, na vã tentativa de ser amada e reconhecida.
  • Para que seu filho reconheça suas qualidades e o respeite, tome a atitude de se amar mais do que a qualquer outra pessoa.
  • Dê um basta nessa superproteção em relação aos filhos e comece a cuidar de quem é mais importante em sua vida: VOCÊ!
  • Abandone o amor permissivo e adote o amor exigente por seu filho. Ele precisa entender que você o ama, mas você não gosta e não vai aceitar as atitudes erradas dele.
  • Consciente de que você fez o melhor por seu filho, fale e aja com firmeza no sentido de não permitir mais desacatos, e exija que ele o respeite.
  • Aceite que, por mais exemplos bons que você tenha dado ao seu filho, ele fez a escolha de ignorá-los. Sua boa influência está com ele, mas se ele optou por seguir o caminho da ingratidão ou da desonestidade, a única coisa que você pode fazer é rezar por ele e seguir sua própria vida, sem rancores e cobranças.
  • Isso mesmo, que você perdoe ao seu filho para se libertar de mágoas que, mais dia menos dia, acabarão manifestando-se em forma de doenças. Perdoar não é aceitar, é apenas não se prender às dores do ressentimento.
  • Cuidado: É grande o número de pais e mães que adoecem, numa busca inconsciente de atenção e carinho dos filhos. Não caia nessa armadilha e cultive sua fé na certeza de que seu filho, antes de ser seu, ele é filho de Deus.
  • E, com essa dolorosa lição que a ingratidão em família pode lhe trazer, daqui para frente dê um basta às suas expectativas e idealizações. São elas as grandes responsáveis pelas decepções.
  • Lembre-se: Ninguém muda ninguém, a não ser a si próprio. Cada pessoa tem sua natureza e o livre arbítrio de escolher acordar ou não para a vida.
  • Por isso, não perca mais tempo tentando mudar seus filhos. Permaneça firme como bom exemplo para eles e decida, hoje mesmo, buscar seus recursos internos para ser feliz, sem jamais condicionar sua felicidade a quem quer que seja!

 

(*Eliana Barbosa é psicoterapeuta, coach de relacionamentos, apresentadora de TV, palestrante e autora de diversos livros no campo do autodesenvolvimento.)

ATENDIMENTOS 2

TOALHA DE MESA – Uma História Comovente

(Autor desconhecido)

Um novo pastor, recentemente formado, e sua esposa, foram encarregados de reabrir uma igreja no bairro do Brooklyn, Nova York.

A ela chegaram, no início de outubro, entusiasmados com a oportunidade… Quando viram a igreja, observaram que havia muitos estragos e um grande trabalho a ser feito.

Sem se deixarem abater, estabeleceram como meta deixar tudo pronto para o primeiro serviço, o culto de Natal.

Trabalharam sem descanso, consertando o telhado… refazendo o piso… pintando… e, muito antes do Natal, em 18 de dezembro, tudo estava pronto!

Mas… no dia seguinte, 19 de dezembro, desabou uma terrível tempestade, que durou dois dias. No dia 21, o pastor foi até a igreja.

Seu coração doeu… viu que o telhado tinha quebrado e que uma grande área do revestimento de gesso decorado, da parede do santuário, logo atrás do púlpito, havia caído. O pastor, enquanto limpava o chão, pensava em como resolver a situação.

No caminho de casa, pensando em adiar o culto de Natal, observava as vitrines, enfeitadas para a época, quando notou um bazar beneficente e parou por instantes.

Uma linda toalha de mesa, de crochê, na cor marfim, com um crucifixo delicadamente bordado no centro, chamou-lhe a atenção. Era do tamanho exato para cobrir o estrago atrás do púlpito.

Comprou-a e voltou para a igreja. Começou a nevar. Apressou seus passos e chegando à porta da igreja viu uma senhora, que vinha correndo em direção contrária, tentando pegar o ônibus e não conseguiu.

O pastor convidou-a a entrar na igreja, para esperar pelo próximo ônibus, abrigando-se do frio, pois este só viria após 45 minutos.

Ela sentou-se num banco, sem prestar atenção ao pastor, que já providenciava a instalação da toalha de mesa na parede.

Ao terminar seu trabalho, o pastor afastou-se e admirou o quanto a toalha era linda e servia para esconder perfeitamente o estrago.

Então, o pastor notou a senhora encaminhando-se para ele. Seu rosto estava lívido e ela lhe perguntou: ‘Pastor, onde o senhor encontrou essa toalha de mesa?’

E aí ele contou a história. A mulher pediu-lhe que examinasse o canto direito inferior da toalha, para encontrar as iniciais EBG, ali bordadas.

O pastor fez o que a mulher pediu e, intrigado, confirmou a existência das iniciais.

A mulher, então, disse: ‘Essas são as minhas iniciais.‘

Ela havia feito essa toalha de mesa há 35 anos, na Áustria. Contou que, antes da guerra, ela e seu marido estavam “bem de vida”. Quando os nazistas invadiram seu país, eles então combinaram fugir: ela iria antes, e seu marido a seguiria uma semana depois. Ela foi capturada, trancada numa prisão e nunca mais viu seu marido e sua casa.

O pastor ofereceu a ela a toalha, mas, ela recusou, dizendo que estava num lugar muito apropriado.

Insistindo, o pastor ofereceu-se para levá-la até sua casa, que era o mínimo que ele poderia fazer!!! E ela aceitou…

E chegou o dia de Natal! A igreja estava quase cheia. Foi um lindo trabalho. Ao final, um velho homem, que o pastor reconheceu ser dali da vizinhança, permaneceu sentado, atordoado.

O pastor aproximou-se e, antes que dissesse palavra, o velho perguntou: ‘Onde o senhor conseguiu a toalha de mesa da parede? Ela é idêntica a uma que minha mulher fez, muitos anos atrás, quando vivíamos na Áustria, antes da guerra. Como poderiam existir duas toalhas tão parecidas?’

Imediatamente, o pastor entendeu o que tinha acontecido e disse: ‘Venha… eu vou levá-lo a um lugar que o senhor vai gostar muito.´

No caminho, o velho contou a mesma história da mulher. Ele, antes de poder fugir, também havia sido preso e nunca mais viu sua mulher e sua casa, por 35 anos.

Ao chegar à mesma casa onde deixara a mulher, três dias antes, o pastor ajudou o velho a subir os três lances de escadas e bateu na porta.

Creio que não há necessidade de se contar o resto da história…

Quem disse que o Universo não trabalha de maneira misteriosa?

Lembre-se: nada, em nossas vidas, acontece por acaso!

BANNER PARA CAPTURA